Tunísia decretou recolher obrigatório nocturno

(REUTERS/Amine Ben Aziza)

As autoridades tunisinas decretaram hoje um recolher obrigatório nocturno em todo o território da Tunísia, depois de várias manifestações contra o desemprego e a pobreza.

“Em face dos ataques foi decidido proclamar a partir de hoje o recolher obrigatório em todo o território entre as 20.00 horas e as 05.00 horas”, afirmou o Ministério do Interior tunisino.

A morte de um desempregado no sábado em Kasserine, no centro do país, deu origem a uma série de protestos contra o desemprego e a pobreza nesta cidade que, no decorrer desta semana, se alastraram a várias localidades do país.

A polícia tunisina recorreu, ontem, a canhões de água e gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes em Kasserine.

Os incidentes começaram com a morte de um jovem desempregado, mobilizando a população descontente com a alta taxa de desemprego. A partir desse momento foi imposto o recolher obrigatório decretado entre as 18 e as 5 horas da manhã, mas este não foi respeitado pelos manifestantes.

O governo tunisino reagiu às manifestações e prometeu a criação de cinco mil novos postos de trabalho para os desempregados e um investimento de 60 milhões de euros na construção de mil habitações sociais.

A cidade de Kasserine situa-se perto do monte Chaambi, o principal reduto dos grupos jihadistas tunisinos e o exército anunciou a intenção de usar artilharia e aviação para evitar que os jihadistas desçam às cidades.

O Presidente da Tunísia, Béji Caïd Essebsi, admitiu esta semana que “o governo actual herdou uma situação muito difícil”, com “700 mil desempregados, entre os quais 250 mil jovens com cursos superiores”. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA