Sensação de voar (vídeo)

(EURONEWS)

Voar é um dos mais antigos sonhos do homem e se é verdade que ainda estamos muito longe de imitar na perfeição os pássaros, com o avanço da tecnologia e a busca incessante de adrenalina, já podemos ter uma boa ideia do que é voar por entre as árvores. O salto BASE com wingsuit, no entanto, é um privilégio, e um perigo, reservado para muito poucos.

Matt Gerdes é um deles. Para o norte-americano, o único segredo é o trabalho:
“Não se pode simplesmente chegar a um precipício, vestir o fato e saltar. Há muito trabalho por trás até chegar a esse momento. Há anos de treino no ambiente da queda livre, é preciso aprender a manobrar para-quedas e controlar o corpo em queda livre, saber o utilizar o wingsuit em voo normal e só depois todo esse conhecimento é transposto para as montanhas. É necessário muito tempo e dedicação.”

O perigo é uma componente fundamental para os aficionados e o mínimo erro pode ter consequências fatais. Ainda assim, a percentagem de acidentes não é superior à de outros desportos de aventura.

Aiguille du Midi e Brévent, em Chamonix, são dois dos melhores locais para a prática da modalidade. Voar ainda não passa de um sonho, mas para quem persegue o sonho até aos últimos limites, já é possível ter a sensação de voar. (EURONEWS)

por Bruno Sousa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA