Putin terá “provavelmente” aprovado o assassinato de Litvinenko

Andy Burnham, House of Commons (DR)

O presidente russo Vladimir Putin terá “provavelmente” aprovado o assassinato em Londres, por dois agentes russos, do adversário Alexander Litvinenko, segundo o juiz britânico que conduziu um inquérito cujas conclusões foram hoje tornadas públicas.

Litvinenko foi supostamente envenenado num hotel londrino com polônio-210 – uma substância radioativa disponível apenas em instalações nucleares, no decurso de um encontro com dois espiões russos, Lugovoy e Kovtun, com quem terá tomada a fatídica chavena de chá.

O ex-agente da KGB, morto no dia 23 de novembro de 2006, tinha-se tornado investigador independente e crítico do Kremlin e numa carta acusou publicamente o presidente Vladimir Putin de ordenar o seu assassinato, antes de morrer.

O governo britânico abriu o inquérito. Litvinenko estava ao serviço da agência de espionagem britânica MI6 e ajudava as forças de segurança espanholas no combate à máfia russa.

Cabe agora ao juiz Robert Owen formalizar ou não a acusação contra a Rússia, e também analisar as consequências diplomáticas que isso poderá provocar.

A viúva de ex-espião Litvinenko diz que a investigação do Reino Unido “revelou a verdade”. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA