Programa: Grupo Mitreli apresenta metodologia para o programa “Água para Todos”

(Foto: D.R.)

No âmbito do programa “Água para Todos”, o grupo é responsável pela execução de 152 sistemas de abastecimentos de água que, para além da sua execução, está previsto um período de um ano de operação e manutenção

Denomina-se SROI, Retorno Social do Investimento “uma ferramenta analítica para medir e representar um conceito mais amplo de valor”. A iniciativa é do grupo Mitrelli através da sua subsidiária Owini de concepção- construção dos sistemas de abastecimento de água em 5 províncias nomeadamente, Cuanza Sul, Moxico, Lunda Norte, Zaire e Uíge. De acordo com o chefe de Desenvolvimento de Negócios, Ricardo Pinho, a ferramenta SROI pode ser útil para ajudar as empresas e governos a articular o valor dos seus programas e serviços para pessoas e comunidades e fornecer uma análise útil para determinar a necessidade de ajustes do programa. Ricardo Pinho diz que existem duas metodologias para determinar o SROI, nomeadamente “avaliativa” e “impeditiva”.

“Caso se pretenda estimar as mudanças a ocorrer no futuro, deverá recorrer-se à metodologia preditiva”, disse. Fez saber que esta metodologia quantifica os benefícios sociais e os custos em relação as finanças, com base no valor líquido das saídas. Para implementação do projecto prevê-se uma metodologia que será definida com base nos resultados de duas análises piloto quantificava e qualitativa. Os objectivos desta análise passam por avaliar os benefícios sociais dos sistemas de abastecimento de água para as comunidades, em termos monetários, em comparação com o montante financeiro  do investimento feito e entender como os objectivos do programa “Água para Todos estão a ser realizados e a mudança social que eles criam para as comunidades.

Mais de 80 sistemas já foram construídos

Dos 152 sistemas de abastecimentos, mais de 80 já foram concluídos pelo grupo. De acordo com informações avançadas pelo gabinete de comunicação do grupo que faz recursos aos dados para projecto de engenharia recolhidos junto do MINEA e governos locais, estima-se que a população a servir seja de 642.132 habitantes. Entretanto, até Novembro de 2015, estavam já em operação mais de 80 sistemas dos 152 e estima-se que mais de 50% da população prevista tenha já acesso à água potável por meio destes sistemas. As infra-estruturas construídas comportam chafarizes, uma unidade combinada de chuveiros e lavandaria, com tanques para lavagem de roupa, chuveiros e torneiras avulsos, além de ligações aos edifícios públicos. (semanarioeconomico)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA