Portas preocupado com a ideia de que “é tudo para desfazer”

(Miguel Baltazar/Negócios)

O líder do CDS-PP, Paulo Portas, mostrou-se preocupado com a ideia de que “é tudo para desfazer ou para voltar atrás”, salientando que todos os responsáveis devem ter “o maior cuidado” para garantirem a confiança dos investidores.

“Preocupa-me a ideia de que é tudo para desfazer ou para voltar atrás. Preocupa-me que se volte atrás na TAP, que se volte atrás nas concessões dos transportes, que se volte atrás na reforma laboral, que se volte atrás na descida do IRC”, disse Paulo Portas, que falava na inauguração do Portugal Industries Center (PIC), na Batalha, distrito de Leiria.

Falando para uma plateia repleta de empresários, o líder do CDS vincou a ideia de que se tem de continuar a garantir “balanças comerciais positivas”, num discurso onde a palavra confiança esteve muito presente.

Centrando-se nessa “palavra essencial que os empresários conhecem”, Paulo Portas afirmou que a confiança é algo que “todos os responsáveis devem ter o maior cuidado”.

“Confiança é a base do investimento e o investimento é a base do crescimento e a condição do emprego. Se lá fora ou cá dentro ficarem com dúvidas sobre a confiança que podem ter, não nas empresas portuguesas, mas nos responsáveis políticos portugueses, isso não ajuda a economia e não ajuda as nossas empresas”, realçou o ex-vice-primeiro-ministro.

Para Paulo Portas, é fundamental “proteger e dinamizar a confiança” e garantir que Portugal é um país atrativo “para portugueses e estrangeiros investirem aqui”.

“É preciso ter confiança nas nossas empresas e não desconfiar dos empreendedores e perceber que sem empresas não há crescimento nem emprego”, referiu.

Na inauguração do Portugal Industries Center, na Batalha, esteve também presente a ex-ministra da Agricultura e candidata à liderança do CDS, Assunção Cristas.

O PIC é um espaço destinado a promover a produção nacional, que inclui uma exposição em que estão representadas 150 empresas e 1.300 produtos fabricados em Portugal. (Jornal de Negocios)

por Lusa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA