Patrocinadora de desfile, Libra demitiu 270 funcionários só em 2015

Maior número de rescisões aconteceu na Libra Terminais: 194 funcionários (Foto: Luiz Torres/DL)

O Grupo Libra, responsável por um dos principais terminais do Porto de Santos, convive com realidades distintas. Ao mesmo tempo em que é um dos patrocinadores do desfile de carnaval da escola de samba carioca Grande Rio, que homenageará a cidade de Santos, teve de demitir, em 2015, 270 funcionários.

A informação sobre o patrocínio foi divulgada na última semana por um jornal de circulação regional. O enredo da agremiação do Rio de Janeiro, “Fui no Itororó beber água, não achei. Mas achei a bela Santos, e por ela me apaixonei”, tem um custo de R$ 15 milhões.

Já o número de funcionários dispensados pelo grupo foi fornecido pelo Sindicato dos Empregados Terrestres em Transportes Aquaviários e Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Settaport).

Das 270 pessoas desligadas da empresa, 194 são da Libra Terminais, 56 da Rodocarga e 20 executivos que trabalhavam em São Paulo. Para justificar as demissões, a Libra alegou a perda de armadores para os novos terminais.

Atualmente, a Libra Terminais e Rodocarga contam 1203 funcionários. O número de empregados demitidos corresponde a 22% do quadro atual.

Segundo Francisco Nogueira, presidente do Settaport, o sindicato se manteve à disposição para negociar e evitar desligamentos em massa durante todo ano.

“A expectativa do sindicato é de que em 2016 haja uma acomodação na crise econômica internacional, com reflexos positivos no cenário nacional e a retomada do crescimento nos portos brasileiros”, comentou Nogueira.

Ainda de acordo com o presidente do sindicato, em março, data base das categorias vinculadas, o Settaport iniciará as negociações com o intuito de buscar medidas de proteção ao emprego do trabalhador portuário.

A reportagem do Diário do Litoral tentou entrar em contato com a assessoria de imprensa do Grupo Libra, mas não obteve resposta até o fechamento desta matéria.

Envolvimento com PMDB

No último dia 2, o Grupo Libra foi apontado, em uma matéria publicada no jornal O Estado de S. Paulo, como o único beneficiário de uma emenda parlamentar incluída pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), na nova Lei de Portos, para administrar uma área do Porto de Santos, em São Paulo.

O conglomerado de logística foi um dos principais doadores de campanha do vice-presidente Michel Temer em 2014. Dona de uma dívida milionária com o governo federal, a Libra utilizou-se da brecha incluída na nova legislação, que permitiu a empresas em dívida com a União renovarem contratos de concessão de terminais portuários.

Ainda segundo a publicação, a renovação nos novos termos foi garantida por um outro aliado de Temer, o deputado Edinho Araújo (PMDB-SP), em seus últimos dias no comando da Secretaria Especial de Portos (SEP).

Mesmo sendo candidato a vice, Temer criou em 2014 uma pessoa jurídica para receber doações eleitorais e repassá-las a candidatos a outros cargos públicos, como deputados estaduais e federais. Sua conta recebeu R$ 1 milhão de dois dos sócios do Grupo Libra, arrendatário de uma área de 100 mil m² no Porto de Santos há mais de 20 anos.

O vice-presidente da República, Michel Temer, negou que o Grupo Libra tenha sido beneficiado por uma emenda à Lei dos Portos. (Diario do Litoral)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA