Opiniões sobre fim das sanções dividem-se no Irão e nos EUA

(EURONEWS)

Este domingo, o fim das sanções contra o Irão fez as manchetes da imprensa iraniana. Nas ruas os sentimentos dividem-se. Há quem acredite que a forma como tudo se resolveu representa uma vitória para o Irão, há quem pense o inverso e se sinta cético em ver com bons olhos o acordo e o que ele implica:

“O Irão conseguiu aquilo que queria, não interessa se ganhou mais ou menos que os outros. O Irão queria um programa nuclear e isso concretizou-se. O Irão queria o levantamento das sanções e conseguiu-o também”, explica Mehran, residente de Teerão.

“Se os EUA re-implementarem as sanções o Irão fará o mesmo com o programa nuclear? Não pode fazê-lo. Eles desmantelaram as centrifugadoras. Quantos anos demorará a restaurar o programa nuclear?” – Pergunta-se Hossein Barati, outro iraniano.

Nos Estados Unidos a troca de prisioneiros com o Irão está na ordem do dia. Quanto à questão do nuclear há quem concorde com a forma como Obama lidou com a situação, mas há quem discorde:

“Penso que é bom, desde que eles façam o que as Nações Unidas e nós pedimos. Penso que é positivo”, adianta Rodrick Williamson, habitante de Atlanta.

“Confiar no Irão é um erro. Obama pensa que este será o seu legado, eu acho que vai ser um legado negativo. Sentarmo-nos e fazermos um acordo com o Irão demonstra fraqueza quando devíamos estar a projetar força, é um desastre total”, afirma Chris Schmidt, residente em Nova Iorque.

Obama já assinou uma ordem executiva para revogar o regime de sanções, mas os Republicanos não estão satisfeitos com a decisão. Para eles o dinheiro que vai recomeçar a entrar no Irão vai servir para financiar o terrorismo. (EURONEWS)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA