Números confirmam: ritmo da economia da China caiu para os 6,9 por cento

(EURONEWS)

A segunda maior economia do Mundo mantém-se em lume brando e os mercados a ressentir-se. De acordo com o Gabinete de Estatísticas oficial, a China cresceu em 2015 à média de 6,9 por cento, o ritmo mais lento dos últimos 25 anos num país que habituou o mundo a um crescimento na casa dos dois dígitos nas últimas décadas.

O governo de Pequim confirmou o abrandamento da respetiva economia em linha com as previsões de 7 por cento dos analistas. “A economia cresceu a um ritmo moderado, mas estável e sólido”, assinalou um comunicado do Gabinete.

Em termos cronológicos, o produto interno bruto (PIB) da China abriu o último ano a crescer os esperados 7 por cento e manteve o ritmo no segundo trimestre, mas começou a baixar no terceiro. O crescimento chinês fechou o ano em queda, nos 6,8 por cento.

A produção industrial avançava 5,9 por cento em dezembro face aos 6,2 por cento do mês anterior e o setor dos serviços representou pela primeira vez mais de metade (50,5 por cento) do PIB chinês, que fechou o ano nos 67,67 biliões de yuan (9,48 biliões de euros) e uma taxa de desemprego oficial de 5,1 por cento.

A estimativa é que o abrandamento económico da China continue em 2016. Pequim tem como objetivo um crescimento mínimo anual de 6,5 por cento até 2020, com o Fundo Monetário Internacional (FMI) a estimar que o PIB chinês deverá baixar este ano para os 6,3 por cento. (EURONEWS)

por Francisco Marques

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA