Novos preços estabelecidos por taxistas angolanos

(Taxi (Foto: Rosário dos Santos)

Devido ao fim dos subsídios ao gasóleo e em vigor desde 1 de Janeiro, a Associação dos Taxistas de Luanda aumentou o preço da bandeirada que pode chegar a 200 kwanzas, ou seja o dobro da tarifa em vigor até então. O governo considera este aumento injusto

Angola iniciou o ano com constrangimentos nos sectores económicos e sociais, tendo em conta o aumento dos preços dos combustíveis e derivados do petróleo.

A gasolina e o gasóleo deixaram de ser subsidiados pelo Estado. Segundo o governo a medida visa fazer face à crise financeira na qual vive o país.

Devido à baixa do preço do petróleo, o principal produto de exportação angolano, a subvenção dos combustíveis custam ao Estado cerca de cinco mil milhões de dólares por ano.

Com o aumento dos preços dos combustíveis, os transportes tornaram-se mais caros. Os taxistas reajustaram as tarifas e as empresas de transportes colectivos privadas farão o mesmo para fazer face à crise económica e financeira.

Sem transportes públicos organizados, os táxis e os transportes colectivos privados são as únicas alternativas de transporte.

A empresa de transportes públicos de Luanda, TCUL, está paralisada com a greve dos trabalhadores que exigem o pagamento de salários em atraso há dez meses, como nos dá conta o nosso correspondente em Luanda Avelino Miguel. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA