Munique começa 2016 em alerta máximo

Policiais fortemente armados na estação central da cidade, durante a madrugada (DPA)

Polícia fecha duas estações de trem devido a “ameaça concreta” de um atentado terrorista na virada do ano. Ataque seria perpetrado por até sete extremistas ligados ao “Estado Islâmico”. Busca por suspeitos continua.

O ano de 2016 começou com as autoridades em alerta máximo em Munique. Poucos antes da virada do ano, a polícia se viu forçada a evacuar a estação ferroviária central e uma outra parada de trem devido ao que definiu como uma “ameaça concreta” de atentado terrorista. A população foi aconselhada a evitar grandes aglomerações.

Segundo a polícia, entre cinco e sete extremistas ligados ao “Estado Islâmico” estariam a planear atentados suicidas nas duas estações. Nenhum foi detido até agora, mas as autoridades receberam dados de pelo menos metade deles – que estão a ser verificados – e têm indicações de que eles têm origem síria e iraquiana.

“A informação sobre um ataque terrorista iminente à meia-noite era muito concreta”, disse Elisabeth Matzinger, porta-voz da polícia da cidade bávara. “Apesar de nada ter acontecido, nosso alerta de terror continua mantido.”

Em entrevista colectiva nesta sexta-feira (01/01), o secretário de Segurança de Munique, Hubertus Andrä, pediu que a população não deixe que o alerta interfira em suas vidas, mas reforçou que a ameaça era séria.

“A avaliação foi de que o risco era similar ao de Hannover, que há algumas semanas cancelou uma partida da selecção alemã de futebol”, afirmou, em referência ao jogo amistoso entre Alemanha e Holanda de novembro.

Mais de 500 policiais, de diferentes regiões da Baviera, foram chamados na noite passada para a capital estadual. No início da tarde desta sexta, ainda havia cem, além do contingente normal, nas ruas da cidade. As duas estações de trem – a central e a do bairro de Pasing – foram reabertas ainda durante a madrugada.

Durante o verão passado, a estação central de Munique se tornou um dos pontos principais de chegadas de refugiados na Alemanha. As cenas de centenas de cidadãos alemães indo ao local para dar as boas-vindas aos recém-chegados correram o mundo.

A virada do ano foi celebrada em estado de alerta em várias capitais europeias. Bruxelas cancelou todos os eventos, e Paris decidiu reduzir significativamente suas festividades. A Rússia proibiu a entrada na Praça Vermelha – oficialmente para gravar um programa de TV, mas, segundo observadores, devido ao risco de atentado. Várias outras cidades, como Viena e Berlim, reforçaram significativamente as medidas de segurança. (DW)

RPR/dpa/ots

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA