Ministro da Defesa enaltece papel da Força Aérea na conquista da paz

João Lourenço - Ministro da Defesa Nacional (Foto: Lino Guimarães)

O ministro da Defesa Nacional, João Gonçalves Lourenço, destacou hoje, quinta-feira, em Luanda, a bravura, patriotismo e o espírito de sacrifício que desde os primórdios caracterizou os efectivos da Força Aérea Nacional (FAN), na perspectiva de defenderem o país.

O ministro discursou no acto central do 40º aniversário da FAN, assinalado hoje (21 de Janeiro), sob o lema “Força Aérea Nacional, 40º anos na defesa do espaço aéreo, pela paz e unidade nacional”.

Segundo o governante, a força aérea desempenhou um papel fulcral na conquista definitiva da paz no país lutando sempre, mesmo quando se encontrava em desvantagem no teatro operacional nos primórdios da sua criação, face a invasão que Angola sofria da então força aérea racista da África do Sul.

“É oportuno, por isso, que rendamos uma homenagem merecida a todos os militares deste ramo das Forças Armadas Angolanas (FAA), em particular os tombados nas frentes de batalha, pela defesa da pátria”, frisou o ministro.

Por outro lado, explicou que no seu processo evolutivo, a força aérea conheceu várias etapas de organização e adaptou-se rapidamente, devido às circunstâncias da guerra que o país enfrentou desde o alcance da independência nacional em 1975.

“A trajectória deste ramo das forças Armadas foi de luta, de progresso e de vitórias”, afirmou o ministro, reconhecendo o desempenho dos comandantes que, ao longo deste tempo, foram perspicazes no seu trabalho de organização para fazerem deste comando uma arma estratégica para os desafios da época, com extrema disciplina.

O acto foi presenciado pelo secretário de Estado para a Política de Defesa Nacional, Gaspar Santos Rufino, pelo chefe do Estado Maior General das FAA, Geraldo Sachipengo Nunda, do comandante da Polícia Nacional, Ambrósio de Lemos, entre outras entidades.

A actividade contou com desfile das tropas e exibição de pára-quedismo. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA