Ministro considera massacre da Baixa de Cassanje acto bárbaro

Ministro Cândido Van-Dúnem (Foto: R.Santos)

O ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Cândido Pereira Van-Dúnem, considerou nesta segunda-feira, em Luanda, que o massacre da Baixa de Cassanje, ocorrido a 4 de Janeiro de 1961 foi um dos maiores e piores actos de repressão e barbárie perpetrado pelo regime colonial português contra o povo angolano e que a historia jamais apagará.

Ao falar na cerimónia que marcou a celebração da efeméride, consagrada aos mártires da repressão colonial, sublinhou que por esta razão, a data passou a constituir para o país, uma oportunidade de reflexão e propícia para tributar uma verdadeira e singela homenagem para todos os angolanos.

Reafirmou que a celebração do 4 de Janeiro deve servir de um momento importante para demonstrar o patriotismo e a solidariedade que deve envolver e contagiar todos os angolanos de Cabinda ao cunene, independentemente da filiação político-partidária, confissão religiosa, etnia, sexo ou posição social, em prol de todos quantos lutaram e deram o melhor de si pela causa comum e nobre do seu povo.

Cândido Van-Dúnem destacou que os acontecimentos da Baixa de Cassanje jamais serão esquecidos porque fazem parte da história e da luta do povo angolano.

Perante esta atitude, enfatizou, o Estado angolano reconheceu a coragem e determinação das populações da Baixa de Cassanje, institucionalizou esse dia como o dia dos mártires da repressão colonial.

Noutra parte da sua intervenção, o governante associou este feito à bravura dos antigos combatentes que, em sua opinião, ” constituem sem qualquer margem de dúvidas, a geração de bons angolanos que em termos da constituição da República e da lei gozam de protecção especial do Estado e da sociedade”.

Disse que a sua atitude constitui um exemplo para a juventude, em particular, e pela sociedade, em geral.

A efeméride decorreu sob o lema ” Enaltecer os Mártires da Repressão Colonial é Preservar a História de Angola”, cujo acto contou com a presença do secretário de Estado dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Clemente Conjuca, deputados, membros do Executivo e o Rei da Baixa de Cassanje Muhongo Wanganga. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA