Manutenção de aviões preocupa companhias

Pilotos angolanos revelam a necessidade de manutenção local das aeronaves. (Foto: Contreiras Pipa)

Um avião de grande porte gastará mais de um milhão de dólares para a sua reparação no exterior enquanto operadores querem manter os capitais no país apostando nos recursos humanos nacionais.

As principias operadoras do sector da aviação civil no mercado nacional estão preocupadas com o repatriamento de divisas para a manutenção de aviões no exterior do país. A informação foi avançada pelo presidente do Conselho de Administração da companhia aérea privada angolana Air Jet, António Beta.

O gestor, que falava em exclusivo ao JE, revelou que a empresa que dirige gasta em média dois milhões de dólares para a manutenção dos aviões no exterior do país. Segundo explicou, a manutenção de aviões de pequeno porte, por exemplo, os custos vão até 150 mil dólares norte-americanos.

Já os aviões de médio porte, os custos vão até 500 mil dólares e mais de um milhão de dólares para aviões de grande porte. De acordo com António Beta, o país pode inverter, tendo como base duas estratégas principais, nomeadamente a recuperação das principais infra-estruturas existentes no sector da aviação civil, hoje em estado de abandono e, por outro, reaproveitar a mão-de-obra formada durante o conflito armado, actualmente dispersa em outros sectores. Para o empresário, a estratégia passa sobretudo pela atribuição de espaços (hangar) e condições de trabalho aos investidores do ramo. “Podemos travar a fuga de divisas no sector da aviação a curto prazo”, disse.

O empresário explicou que o país dispõe de espaços e bons técnicos em matéria de aviação civil à altura para responder às necessidades em matéria de reparação e manutenção de aviões. “A principal dificuldade reside sobretudo no espaço para encostar o avião”, garante. Para o gestor, o longo período de conflito armado que o país registou contribuiu em grande medida para a formação de um número considerável de técnicos em matéria de aviação para atender às necessidades do país.

Formação

As acções formativas que as empresas angolanas realizam no exterior por exemplo são ministradas por professores angolanos com formação em aviação, pelo que as empresas de aviação se preocupam apenas a arrendar as instalações.

De acordo com empresário, as escolas de aviação civil do país são asseguradas por quadros nacionais, que na devida altura sempre souberam responder às necessidades do mercado. Entre os países que semestralmente acolhem acções de refrescamento de quadros angolanos em matéria de aviação destacam-se a África do Sul, Brasil e Espanha.

Expansão

Depois de consolidar duas presenças diárias nas províncias de Cabinda e Soyo (Zaire), respectivamente, onde já opera há mais de 15 anos, a Air Jet vai abrir três novas rotas nas regiões do Huambo, Bié e Andulo.

De acordo com o responsável, neste momento decorrem os últimos acertos para que o primeiro voo aconteça. Actualmente, a empresa realiza cerca de 20 voos diários, dos quais dois em Cabinda, dois no município do Soyo (Zaire), Mbanza Congo, Uíje, Benguela e Huíla.

Para garantir a circulação de pessoas e bens, a empresa conta com uma frota de 14 aeronaves de pequeno, médio e grande porte. Além de atender às viagens internas, a empresa atende as emergências médicas e viagens privadas em países vizinhos, com destaque para Zâmbia, RDC, Congo Brazzaville e África do Sul.

Negócio Apesar dos elevados custos na manutenção dos aparelhos no exterior, António Beta assegurou que o negócio é rentável. Para o investidor, actualmente o sector está a registar uma baixa com a recuperação das principais vias de comunicação um pouco por todo o país.

Para animar o negócio, as empresas do sector estão a apostar no turismo cujos indicadores são cada vez mais animadores. Desta feita, a empresa está a apostar em voos nacionais nas províncias de Namibe, Huambo e Cuando Cubango.

150 MIL DÓLARES

É quanto custa a manutenção periódica de um avião de pequeno porte, com capacidade para transportar até 50 passageiros.

500 MIL DÓLARES

É o valor médio que o investidor no sector de aviação paga para a manutenção de um avião de médio porte, com capacidade para 120 passageiros.

1 MILHÃO DE DÓLARES

É quanto custa a manutenção de um avião de grande porte, com capacidade para transportar até 200 passageiros, dos quais 20 da classe executiva.

14 AERONAVES

De pequeno, médio e grande porte constitui a frota da Air Jet que garante a circulação de pessoas e bens, com uma média de 20 voos diários nas províncias de Cabinda, Zaire, Uíje, Benguela e Huíla, além de Huambo e Namibe. (jornaldeeconomia)

Por: André Sibi

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA