Mais duas pessoas morreram na Urgência à espera de diagnóstico

(DR)

Uma das mortes será investigada, segundo o Centro Hospitalar de Setúbal.

Maria Rosário Macedo, de 47 anos, e Manuel Gomes Fernando, de 56 anos, morreram em circunstâncias anormais, segundo as famílias.

Os dois casos aconteceram na Urgência do Hospital de São Bernardo, em Setúbal. O Centro Hospitalar de Setúbal vai agora abrir um inquérito à primeira morte, mas não à segunda, avança o Jornal de Notícias.

A primeira doente deu entrada, pela segunda vez, a 29 de dezembro depois de se ter queixado de fortes dores de cabeça. Da primeira vez, receitaram-lhe comprimidos para os ouvidos. Mas as dores não passaram e Maria Rosário voltou. Fez análises e os resultados foram enviados para o Hospital Garcia de Orta, em Almada. Esse mesmo hospital deu indicações para não enviarem para lá a paciente e a mulher acabou por morrer.

Já Manuel Gomes Fernando perdeu a vida a 30 de dezembro, depois de se ter queixado com dores fortes na perna esquerda.

Foi levado para a Urgência do Hospital de Setúbal e recebeu pulseira laranja. A mulher da vítima garante que ele não foi medicado, os médicos asseguram que sim.

Entretanto, a dor passou para a coluna e depois para o peito, causando-lhe uma paragem cardíaca e por conseguinte, a morte.

A mulher, Maria Rodrigues Soares assegura que o médico que atendeu o seu marido “não queria saber dele”. “Chegou a dizer-lhe, e tenho testemunhas, que uma dor na perna não mata”, conta. (Noticias ao Minuto)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA