Lunda Sul: Expo Saurimo marca jornada comemorativa dos 60 anos do município

Vista de Algumas artérias da Cidade do Saurimo (Foto: António Escrivão)

Na perspectiva de promover a diversificação da economia nacional e incentivar a produção local no domínio da agricultura e da indústria, a Administração Municipal do Saurimo prevê realizar de 19 a 22 de Maio, a primeira edição da Expo Saurimo, no âmbito dos 60 anos da fundação desta cidade capital da província da Lunda Sul.

O facto foi dado a conhecer nesta quinta-feira, em Saurimo, pelo administrador municipal de Saurimo, Gregório Miasso, quando fazia a apresentação oficial do programa das comemorações dos 60 anos da cidade Saurimo, a assinalar-se a 28 de Maio do ano em curso.

Ainda no domínio da economia, segundo fez saber o administrador municipal, o programa prevê a realização de um fórum económico, empresarial e turístico, feira da gastronomia, exposição de produtos de produtos do campo.

Já no campo cultural, serão realizados concursos de música, dança popular, poesia, trova, teatro, moda, melhores instrumentos culturais, exposição de artes e fotografias, gala “Cidade de Saurimo”, Festi Saurimo, feira do livro infantil e festival da musica gospel.

Torneio regional de andebol feminino, maratona de Xadrez, prova de natação, motocross, torneio escolar de basquetebol, prova de Carting, torneio internacional de Futebol, paraquedismo, maratona de atletismo, festival Gino desportivo infantil, vão igualmente marcar as comemorações dos 60 anos da fundação da cidade de Saurimo.

Saurimo é a cidade capital da província da Lunda Sul. Tem cerca de 423 mil 548 habitantes. De 1923 até ao fim da administração portuguesa, o seu nome foi Vila Henrique de Carvalho, em homenagem a Henrique Augusto Dias de Carvalho, o primeiro explorador da região da Lunda.

É limitado a Norte pelos municípios de Lucapa e Cambulo, a Este pela República Democrática do Congo, a Sul pelo município de Dala, e a Oeste pelos municípios de Cacolo e Lubalo. É constituído pelas comunas de Saurimo, Mona-Quimbundo e Sombo. O município é igualmente constituído por 140 aldeias, das quais 61 já unificadas e possui ainda 16 povoações.

O município possui um subsolo rico em minérios, nomeadamente: diamantes, manganês e ferro. A população na sua maioria é da etnia cokwe e a língua nacional mais falada é também o cokwe. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA