Luanda: “candongueiros” podem aumentar tarifas até 150 kwanzas

Vista de Luanda (Getty Images)

A Associação de Taxistas de Luanda pretendia um aumento de 100% na corrida, na sequência do fim dos subsídios ao gasóleo em vigor desde 1 de Janeiro, até lá a bandeirada era de 100 kwanzas.

O Ministério das Finanças estabeleceu ontem (8/01) o preço máximo de 150 kwanzas (1,01 euros) para a corrida dos taxis informais ou “candongueiros” em Luanda, quando até 1 de Janeiro esta era de 100 kwanzas (67 cêntimos de euro).

A nota do Ministério das Finanças indica no entanto, que os taxistas podem praticar tarifas inferiores de acordo com a demanda do mercado.

A Associação dos Taxistas de Luanda pretendia que os aumentos fossem até 200 kwanzas (1,3 uros) devido ao fim dos subsídios ao gasóleo e outros derivados do petróleo, que entrou em vigor a 1 de Janeiro deste ano, como consequência da baixa das receitas petrolíferas.

O governo considerou injusto o aumento de 100% das tarifas dos “candongueiros” e ontem a Associação dos Taxistas de Luanda e o governo chegaram a acordo após intensas negociações, no entanto a Associação considera que este acordo não os satisfaz mas foi o possível.

Segundo analistas a fiscalização das tarifas será no entanto difícil dado que a maioria dos “candongueiros” operam em zonas suburbanas, onde há pouco controlo por parte das autoridades.Desde 1 de Janeiro o gasóleo passou a ter preços livres, tal como sucedia já com a gasolina, enquanto o gás doméstico que passou a custar 100 kwanzas/kg continua a ser subvencionado em 63,01% e o petróleo para iluminação passou a custar 70 kwanzas/litro e é subvencionado a 9.01%.

Na mesma ocasião foram ajustadas as tarifas de electricidade e água potável. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA