Irão acusa Arábia Saudita de agravar as tensões na região

(AFP)

A Arábia Saudita deseja agravar as tensões e os confrontos na região, afirmou nesta segunda-feira o porta-voz da diplomacia iraniana, Hossein Jaber Ansari, em reacção à decisão de Riad de romper as relações diplomáticas com Teerão.

A execução no sábado na Arábia Saudita do clérigo xiita saudita Nimr al-Nimr, muito crítico ao poder de Riad, provocou uma onda de tensão entre os dois países.

“A Arábia Saudita baseia sua existência na continuidade das tensões e dos confrontos, e tenta resolver os seus problemas internos exportando-os ao exterior”, disse Jaber Ansari.

A Arábia Saudita anunciou no domingo a ruptura das relações diplomáticas com o Irão após os ataques contra as suas representações diplomáticas em Teerão e Mashhad, incendiadas no sábado.

As autoridades “deram 48 horas aos funcionários da representação diplomática iraniana para abandonar o país”, anunciou o chefe da diplomacia saudita, Adel al-Jubeir.

Jaber Ansari disse que o Irão “respeita os seus compromissos para proteger as representações diplomáticas, manter a sua segurança e a de seus diplomatas”.

Mais cedo, o governo iraniano afirmou que a decisão da Arábia Saudita de romper relações com Teerão, não provocará o esquecimento do “grande erro” da execução do clérigo xiita, informou a agência Irna.

“Com a decisão de romper as relações, a Arábia Saudita não poderá provocar o esquecimento de seu grande erro de ter executado um líder religioso”, Nimr Baqer al-Nimr, afirmou Hossein Amir Abdolahian, vice-ministro iraniano das Relações Exteriores.

No domingo à noite, a polícia saudita foi alvo de disparos na cidade natal do clérigo xiita Nimr al-Nimr, executado no sábado por “terrorismo”, anunciou a agência oficial saudita SPA.

A agência, que cita um porta-voz da polícia na Província Oriental, afirmou que as forças de segurança estavam à procura dos autores das “acções terroristas”. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA