Irão acabará por derrubar mercado mundial de petróleo?

(flickr.com/ Sergio Russo)

No dia 17 surgiram informações sobre o levantamento de sanções do Irão. O mercado já reagiu a estas notícias.

Assim, o preço de petróleo Brent baixou para menos de 28 dólares por barril na sessão comercial desta segunda-feira (18). O petróleo continua a cair no contexto do fim das sanções contra o Irão e receios que haja um excesso de petróleo no mercado. Será que o Irão acabará por derrubar o mercado mundial de petróleo?

Segundo o especialista iraniano radicado em Londres Manouchehr Takin, a reentrada do Irão no mercado não é uma surpresa para os especialistas. Durante mais ou menos um ano se realizam discussões sobre este assunto. No mercado compram-se contractos de futuros. As pessoas seguem a situação no mercado, fazem prognósticos sobre o preço de petróleo e volume da sua produção para 6 meses seguintes e factores de risco, tendo em conta mudanças políticas no mundo.

Ao mesmo tempo, destaca o especialista, parece que muita gente esperava que as sanções fossem levantadas um pouco mais tarde, dentro de 3-4 meses depois de o plano de acção ter sido assinado. Sem dúvida, há um elemento de surpresa.

“O factor psicológico deveria ter sido levado em consideração. Entretanto, a produção de petróleo no Irão não atingiu na actual etapa um volume tão grande que possa provocar alarme e preocupação”, afirmou Takin.

Um outro factor é que é preciso considerar que a produção de petróleo fora da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), baixou significativamente. A demanda de petróleo no âmbito da OPEP cresceu em comparação com o ano passado.

“Há que lembrar que nos 2 últimos anos a oferta deste combustível superou a demanda e o petróleo acumulou-se em grande quantidade nos portos e armazéns. Por isso, em 2016, se a produção de petróleo fora dos países da OPEP baixar, para realizar as reservas acumuladas de petróleo os países da OPEP precisarão de muito tempo”.

Segundo o especialista iraniano, mesmo que o Irão não queira reentrar no mercado de petróleo mundial, a situação em relação ao preço não vai mudar.

Muitos outros especialistas na área destacam que agora o Irão ainda não consegue produzir mais que 500 mil – 1 milhão de barris por dia, porque toda a indústria petrolífera do país tornou-se obsoleta e exige ser modernizada. Mas Takin disse que a situação não é tão negativa como parece, porque o Irão é capaz de começar a produzir até 500 mil barris por dia até o final do ano.

Na noite de 16 para 17 de Janeiro, a UE e os EUA levantaram as sanções financeiras e económicas impostas ao Irão. (SPUTNIK)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA