Inflação em Angola fura as previsões do Governo e FMI e atinge os máximos

Janísio C. Salomão (Janísio C. Salomão)

2016 parece ser um ano de surpresas para a Economia Angolana. No artigo anterior já havia abordado sobre as metas previstas no Orçamento Geral do Estado (OGE) que foram ultrapassadas.

Recentemente foi publicado o relatório sobre o comportamento do Índice Preço do Consumidor (IPC) referente ao mês de Dezembro, o qual espelha as alterações registadas no quesito “preços”, observa-se uma alteração de 1,38 pontos percentuais durante o período de Novembro a Dezembro de 2015.

O Orçamento Geral do Estado (OGE) 2016, apresentava como meta uma taxa de inflação a situar -se entre os 11 aos 13% e o Fundo Monetário Internacional (FMI) apontava uma inflação esperada para 2015 a situar -se nos 14%.

Todas as metas previsas quer pelo Executivo Angolano e pelo FMI foram ultrapassadas, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE) a inflação situou -se nos 14,27%, uma variação de 1,27% segundo as previsões do Executivo e 0,27% do FMI;

Grafico N. º 1 – Evolução da inflação (%)

(DR)
(DR)

Fonte: INE, 2016

Comparativamente ao período homólogo, 2014, podemos depreender que os preços registaram um aumento de 90%, ou seja, em 2014 a inflação acumulada cifrou-se nos 7,24% e 14,27% em 2015;

Cenário este que tornar-se insustentável para muitos consumidores, devido a redução do poder de compra e um aumento dos preços dos principais produtos que constituem a cesta básica.

Embora estejam a ser tomadas medidas de contenção por parte do Banco Nacional de Angola (BNA), autoridade máxima e monetária do país, parece que a inflação não quer ser domada e segue como um animal ferroz e sem controle, com tendência ascendente, situação esta, que não é nada benéfica para a Economia angolana.

2016 se parece mais com um filme em que apenas o começo foi marcado por muitos acontecimentos tais como: alteração nos preços dos combustíveis, redução do preço do barril do crude, aumento das taxas médias de câmbio e juro;

Pelo andar da carruagem muito ainda teremos por assistir nesta longa metragem que seguramene irá nos pregar inormes surpressas e momentos inesquecíveis.

Janísio C. Salomão1

[1] Mestre em Administração de Empresas; Consultor Empresarial e Técnico Oficial de Contas

 

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA