Huíla: IMAT tem 144 vagas para interessados na formação agro-pecuária

Exposição de animais na feira provincial agro-pecuária (Foto: Morais Silva)

Cento e 44 vagas estão disponíveis para candidatos nos quatro cursos de formação em agronomia neste ano lectivo, leccionados no Instituto Médio Agrário do Tchivinguiro, município da Humpata, a 45 quilómetros a sudoeste da cidade do Lubango, província da Huíla.

A informação foi hoje, terça-feira, avançada à Angop, pelo director do IMAT, Francisco Ebo, que anunciou o início das inscrições para quarta-feira (6) e término dia 18 deste mês, nos cursos de produção vegetal e animal, gestão agrícola e indústria agro-alimentar.

Para as inscrições, Francisco Ebo informou que os candidatos devem apresentar uma fotocópia do bilhete de identidade, certificado de habilitações e quatro fotografias tipo passe.

Informou haver um aumento de 80 vagas em relação ao ano lectivo anterior, devido o nível de aproveitamento registado este ano, que foi de 87 porcento.

Sobre o ano lectivo 2015, o director informou que 207 alunos concluíram os cursos de produção animal, vegetal e gestão agrícola, sendo que o curso de indústria agro-alimentar começou a ser implementado apenas neste período.

Acerca do corpo docente, o gestor confirmou que a instituição conta com 43 professores, 41 nacionais e dois cubanos, necessitando de mais de cinco das especialidades de matemática, física, química, educação física, veterinária e zootécnica.

Questionado sobre a inclusão de novos cursos, o responsável realçou que só será possível quando a instituição for reabilitada e ampliada (prevista para este ano), uma vez existirem neste momento somente nove salas de aulas, insuficientes para satisfazer a demanda.

No ano lectivo transacto estudaram no Instituto Médio Agrário do Tchivinguiro 350 alunos nos cursos de produção animal, vegetal, gestão agrícola e indústria agro-alimentar.

O IMAT herdou as infra-estruturas da antiga escola de formação de regentes agrícolas do Tchivinguiro e começou a funcionar como tal em 1980 e já formou mais de oito mil técnicos médios agrários. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA