Huíla: Chuvas destroem casas e desalojam 300 pessoas em três municípios

Estragos causados pela chuva na Huíla (Foto: Angop/Arquivo)

Onze residências ficaram destruídas e 300 pessoas desalojadas em consequência de fortes chuvas que se abateram, nos últimos sete dias, sobre os municípios do Lubango, Caconda e Matala, informou hoje, nesta cidade, fonte do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, na Huíla.

O seu porta-voz, 3º sub-chefe Inocêncio Hungulo, em declarações à Angop, apontou, igualmente, a destruição da sede da administração comunal do Ngungui, em Caconda, além de atingir também duas passagens hidráulicas na cidade do Lubango.

Sem avançar os prejuízos causados, financeiramente, manifestou-se preocupado com as consequência das constantes chuvas que se abatem ultimamente na província da Huíla, principalmente por estarem a provocar desabamento de residências e de várias outras infra-estruturas.

O Serviço de Protecção Civil e Bombeiro procedeu, igualmente, o resgate de uma cidadã que em vida chamou-se, Beatriz Joaquim, de 44 anos de idade, vítima de acidente de viação, no município do Lubango, bem como realizou 18 inspecções profiláticas e ditou 52 medidas.

Efectuou ainda o salvamento de um cidadão, de nome António Bartolomeu, em Caconda, que tentava afogar-se, por motivos ainda por se esclarecer, tendo sido socorrido imediatamente pela corporação, graças a denúncia de populares.

Na última semana, aquele órgão do Ministério do Interior registou três incêndios de pequenas proporções, menos dois em relação a igual período anterior, assim como cinco evacuações nos municípios do Lubango, Chibia, Cuvango, Jamba e Cacula. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA