Huambo: Rei enaltece classificação da Ombala a património nacional

Rei do Huambo Armando Chongolola (Foto: Edilson Domingos)

Huambo – A classificação da Ombala grande do Huambo, na última semana, à categoria de património nacional, com a referência de sítio histórico-cultural, foi enaltecida neste sábado, pelo seu rei.

Armando Chongolola disse à Angop que a iniciativa demonstra a “grande vontade” do Governo em continuar a dar maior valor e dignidade ao monumento, tendo em conta a sua importância na história e cultura do país.

Explicou que o local constituiu um palco marcante dos confrontos entre os soberanos da região e as autoridades coloniais, assim como a resistência do povo do planalto central ao regime português, sendo que a sua inscrição como património nacional vai fortificar as raízes da história e da cultura angolana.

Com esta iniciática, disse, estão criadas as condições para que o espaço mereça respeito e que se constitua na verdadeira memória colectiva dos angolanos e para o estudo da história e cultura nacional.

“Deste modo poderemos, em colaboração com os demais reinos da região, trabalhar mais para a preservação e fortalecimento da cultura, no âmbito do processo do resgate dos valores morais e cívico nas comunidades, que têm vindo a se perder”, referiu. A Ombala Grande do Huambo, fundada em 1500, está localizada em Samisasa, a 18 quilómetros arredores desta cidade. Repousam no local os restos mortais do Rei Livongue e sua esposa, falecidos em 1902, em combate, aquando da penetração e ocupação portuguesas.

Entre os vários reis que passaram pelo reino, que abrange os municípios do Huambo e Ecunha e parte dos territórios pertencentes aos municípios da Chicala-Cholohanga e Caála destacam-se N’gola Kiluange, Nganda La Kawe, Tchissili, Nhime Ya Pequela, Caála Kanene e Tchingui Chinene.

Também foram reis Livongue I, Catchiungungo, Tchilembo Tchongoma e José Filipe Moço I, os mais conhecidos, tendo em conta o seu contributo na luta contra a ocupação colonial e afirmação do reino no contexto nacional.

Além do Huambo, a província conta ainda com os reinos do Bailundo, Chingolo, Sambo e Chiyaka. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA