HRW: Irão recruta milhares de afegãos sem documentos para combaterem na Síria

(AFP)

O exército iraniano “recrutou, desde Novembro de 2013, milhares de afegãos sem documentos” para combater na Síria, alguns sob coerção, afirma a ONG Human Rights Watch (HRW).

A HRW afirma em um relatório publicado em Nova York que interrogou no fim de 2015 mais de uns 20 afegãos que moravam no Irão e que receberam “oferta de dinheiro e residência legal” no país em troca de “de se unirem às milícias pró-governo sírias”.

“Alguns afirmaram que eles mesmos ou familiares foram forçados a combater na Síria e que depois fugiram para a Grécia ou foram deportados ao Afeganistão por terem se recusado a ir”, destaca a HRW.

“Outros disseram que foram voluntários para combater na Síria, por convicção religiosa ou para regularizar o estatuto de residência no Irão”, afirma a organização de defesa dos direitos humanos.

A Guarda Revolucionária, o exército de elite do regime iraniano, organiza os recrutamentos.

“O Irão não apenas ofereceu aos refugiados e migrantes afegãos estímulos para combater na Síria, mas vários afirmaram que foram ameaçados com a expulsão para o Afeganistão caso não fossem”, disse Peter Bouckaert, um dos directores da HRW citado no relatório.

“Diante disto, alguns afegãos fugiram do Irão para a Europa”, completou.

Quase três milhões de afegãos que fugiram da violência moram no Irão, mas apenas 950.000 deles gozam do estatuto legal de refugiados, segundo a HRW.

O Irão é o principal apoio regional ao governo sírio do presidente Bashar al-Assad, com suporte financeiro e também militar, com conselheiros e “voluntários”, principalmente afegãos. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA