Governo Provincial lança Plano Estratégico para combater febre amarela

Governador de Luanda, Higino Carneiro (Foto: Angop/Arquivo)

Para fazer face ao surto de febre amarela que assola a capital angolana desde Dezembro do ano passado, o governo provincial de Luanda apresenta hoje, segunda-feira, aos seus parceiros sociais, um Plano Estratégico para o controlo e eliminação da doença.

O encontro, a ser orientado pelo governador provincial, Higino Carneiro, contará com a presença dos administradores municipais, directores e delegados provinciais, bem como representantes da OMS, Unicef, sociedade civil e PCAs de empresas sedeadas em Luanda.

O governo provincial foi informado sobre a confirmação do surto de febre amarela em Luanda, no dia 20 de Janeiro deste ano, após resultados de amostras estudadas no laboratório de referência em Dakar, Senegal.

A investigação destes casos teve início no dia 30 de Dezembro do ano passado, com a ocorrência de seis casos, dos quais quatro óbitos, caracterizados por síndrome febril, icterícia e hemorragia em indivíduos do sexo masculino, com idades compreendidas entre 24 e 34 anos, de nacionalidade Eritreia, residentes aproximadamente há oito meses em em Viana.

Actualmente estão registados 27 casos suspeitos, com seis óbitos.

Dada a gravidade da situação, o ministro da saúde, José Vieira Dias van-Dúnem, fez na passada quinta-feira um pronunciamento sobre a etiologia da doença, em que apelou ao reforço das medidas de prevenção.

A febre amarela é uma doença de notificação, obrigatória, universal e está sujeito ao regulamento internacional, fazendo parte de doenças febris hemorrágicas.

Torna-se fundamental que acções imediatas sejam tomadas a fim de evitar mais mortes e a transmissão em grande escala, uma vez que esta doença, na sua fase urbana, é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, que tem uma alta densidade na província de Luanda. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA