Governo espanhol investiga polémica posse de novo líder catalão

Presidente catalão cessante, Artur Mas, cumprimenta Carles Puigdemont (AFP)

O governo espanhol estuda tomar medidas contra a posse do novo presidente regional catalão, o independentista Carles Puigdemont, que não jurou fidelidade à Constituição espanhola, fiadora da unidade nacional, informou nesta quarta-feira Mariano Rajoy.

“Os serviços jurídicos do governo farão um relatório e, diante do documento que produzirem, nós tomaremos as decisões que nos pareçam ajustadas à legalidade”, afirmou o chefe de Governo aos jornalistas na Câmara dos Deputados.

“Como já anunciei há pouco tempo, não vou deixar passar nenhuma (ilegalidade), entre outras coisas, porque é minha obrigação como presidente do governo”, disse.

Na terça-feira, o independentista Carles Puigdemont, designado sucessor na última hora do presidente catalão Artur Mas, assumiu o cargo com uma fórmula na qual evitou prometer fidelidade à Constituição espanhola, como costuma ser comum nestas cerimónias.

Investido no domingo pelo Parlamento catalão, com maioria absoluta independentista desde as eleições regionais de 27 de Setembro, Puigdemond quer converter esta rica região norte-oriental de 7,5 milhões de habitantes em uma república independente em 2017.

Para isso se comprometeu a aplicar o plano incorporado em uma polémica resolução aprovada em 9 de novembro pelo Parlamento regional, suspensa poucas semanas depois pelo Tribunal Constitucional, jurisdição encarregada de velar pelo cumprimento da Carta Magna.

Neste texto, apoiado por uma ecléctica aliança de deputados independentistas, de conservadores a esquerdistas radicais, se comprometiam a lançar um processo de secessão e se declaravam insubmissos às instituições espanholas.

“Não nos faltará firmeza nem determinação” para defender a unidade da Espanha, afirmou na terça-feira o chefe de Governo conservador em funções. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA