Governo de SP amplia atendimento para dependentes químicos

(SP.GOV)

Nesta quarta-feira (13/01), a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (SEDS), por meio da Coordenação de Políticas Sobre Drogas (COED) e Programa Recomeço, anunciou parceria com a Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas (FEBRACT), para ampliar mais 352 novas vagas de atendimento social aos dependentes químicos de crack, álcool, entre outras drogas. Com a expansão, as Comunidades Terapêuticas ligadas à SEDS passam de 983 para 1.335 vagas, totalizando 3350 vagas disponíveis todo o Estado de São Paulo.

A cerimônia de assinatura aconteceu no auditório da SEDS com a presença do secretário Floriano Pesaro, a coordenadora de Políticas Sobre Drogas do Estado de São Paulo, Gleuda Apolinário, o presidente da FEBRACT, Padre Haroldo Rahm e os presidentes das Comunidades Terapêuticas conveniadas ao Programa.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, este é mais um passo parar fortalecer a assistência especializada no tratamento dos dependentes químicos. “O trabalho prestado pela instituição Padre Haroldo é uma referência para todos nós.  O Estado de São Paulo conta agora com a maior rede de Comunidades Terapêuticas do país. Com este amplo programa de tratamento de crack e dependência química, somos a retaguarda dos municípios. Tudo para garantir o desenvolvimento integral com foco na família e ações de reinserção social”, disse Floriano.

O Programa Recomeço é uma ação intersetorial e conta com a participação das Secretarias de Estado de Desenvolvimento Social, de Saúde, de Justiça e Defesa da Cidadania e do Emprego e Relações do Trabalho. Na área social, serão investidos mais de R$ 22 milhões em 2016, incluindo os serviços intermediados pela FEBRACT.

Em 2015, o Programa realizou mais de 3 mil acolhimentos em Comunidades Terapêuticas, com mais de 7,8 mil abordagens sociais, além de 389 pessoas acolhidas na Casa de Passagem.

Para a coordenadora Gleuda Apolinário, o governo acredita no modelo de tratamento oferecido pelas Comunidades Terapêuticas aos dependentes químicos como estratégia de restabelecimento do vínculo familiar. “Nas Comunidades Terapêuticas, os profissionais prestam o acolhimento institucional voluntário e de proteção aos usuários de substâncias psicoativas. O objetivo é oferecer espaços de reinserção social, com suporte da família em locais adequados para uma vida plena e saudável”, reforça Gleuda.

O presidente da Febract padre Haroldo Rahm, aos 97 anos, destes, 64 no Brasil, disse que desde a década de 60 viu o submundo das drogas crescer. “Antes era o álcool, agora, são as drogas. Por isso tenho convicção que vamos ter um novo mundo, sem drogas”, acredita o padre.

O padre Haroldo disse ainda que o apoio do Governo de São Paulo é de extrema importância para a continuidade dos trabalhos oferecidos aos dependentes químicos, pois, o custo de permanência na Comunidade não é baixo e o serviço oferecido é multiprofissional.

Resultados do Programa Recomeço

– 3031 Pessoas acolhidas em Comunidades Terapêuticas;
-389 Pessoas acolhidas na Casa de Passagem;
– 7829 Abordagens Social;
– 4272 Recomeço Família (pessoas sensibilizadas);
– 1439 Recomeço Família (atendimentos);
– 173 Recomeço Família (atendimentos em grupo);
– 648 Programa Via Rápida (vagas ocupadas para curso de qualificação);
– 415 Selo Parceiros do Recomeço (vagas de inserção no mercado de trabalho);
– 479 Plantão Jurídico (Atendimentos Realizados de fevereiro de 2014 até abril de 2015);
– HOJE – 3350 VAGAS DISPONÍVEIS PARA O TRATAMENTO

Sobre o Programa Recomeço

O Programa Recomeço de enfrentamento ao crack é uma ação do Governo do Estado de São Paulo. Ele tem por objetivo a execução de ações de prevenção, tratamento, reinserção social, acesso à justiça e cidadania, redução de situações de vulnerabilidade social e de saúde para os usuários de substâncias psicoativas, especialmente o crack, e seus familiares.

A ação intersetorial conta com a participação das Secretarias de Estado de Desenvolvimento Social, de Saúde, de Justiça e Defesa da Cidadania e do Emprego e Relações do Trabalho. A coordenação é da Secretaria de Desenvolvimento Social.

Desde janeiro de 2013, o Governo mantém um Plantão Judiciário e uma Unidade Social de Acolhimento no Cratod (Centro de Referência em Álcool, Tabaco e outras Drogas), no centro da capital, que visam dar maior celeridade à triagem e encaminhamento de pacientes para internação, seja em leitos de enfermaria ou em comunidades terapêuticas, ou acompanhamento ambulatorial nos Caps-AD (Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas) municipais.

O Plantão Judiciário tem por finalidade agilizar o encaminhamento de pacientes para internação involuntária (com consentimento dos familiares) e compulsória (decidida pelo juiz) nos casos previstos em lei federal de 2001. Esse plantão, que acontece de segunda a sexta-feira, inclui médico, advogado, representantes do Ministério Público e do Judiciário. (SP.GOV)

Secretaria de Desenvolvimento Social 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA