Governador de Luanda elege autoridade e segurança como prioridades no seu mandato

Governador de Luanda, Higino Carneiro (Foto: Clemente dos Santos)

O governador provincial de Luanda, Higino Carneiro, reiterou hoje (quinta-feira) a necessidade de se prestar maior atenção a autoridade e segurança, por formas a se prover tranquilidade aos munícipes.

O governador fez este apelo quando intervinha na abertura do Conselho extraordinário de Auscultação e Concertação Social do município de Luanda, antes da visita de campo que efectuou as infra-estruturas na Ingombota, Samba, Maianga e Sambizanga.

De acordo com o responsável, a sua governação vai de forma rápida velar pela situação do saneamento básico e da limpeza, da mobilidade urbana, água e energia, assim como incluir no seu programa, tão logo o Presidente da República confira a responsabilidade ao GPL, o Plano Director Geral Metropolitano de Luanda.

Informou que fez esta primeira visita ao município de Luanda devido ao compromisso assumido no primeiro encontro realizado no fim-de-semana com os administradores para que pudesse conhecer a realidade dos municípios e em conjunto poder encontrar vias e soluções que permitam mudar o quadro que já vem sendo feito de forma paulatina, para melhor.

Fez saber que, após se reunir com várias entidades, pode assegurar a necessidade de se fazer alguns ajustamentos, promover algum reforço, criar algum equilíbrio, de maneira que a relação entre os diferentes órgãos possam ser melhores e respondam aos objectivos para os quais assumiram a função de governar a Província de Luanda.

Voltou a chamar atenção dos responsáveis afirmando que o poder não se mendiga, exerce-se, “vamos fazer com que as pessoas respeitem a lei, temos também que ser pedagogos, explicar aos cidadãos sobre a necessidade de se incutir o princípio da cidadania, enquadrando-se no contexto”.

Reiterou a necessidade da participação dos cidadãos na resolução dos problemas locais, identificando as ruas e residências, saber quem são os seus proprietários, por uma questão de segurança.

Segundo Higino Carneiro, vivemos no dia-a-dia com vergonha, principalmente por ser a capital, os comentários que fazem revelam a nossa incapacidade. “Temos instrumentos legais, temos força política e autoridade moral para exercer os direitos consagrados e só temos que autuar, sem receio nenhum de agir no nosso país”, encorajou.

Segundo o governador, não se pode exigir apenas da polícia ou outras autoridades, o próprio cidadão tem que ser responsável em contribuir para que tenha segurança, informando as autoridades, por exemplo, da presença de cidadãos estranhos no seu bairro ou rua.

Aconselhou para a intensificação dos Conselhos de Auscultação e Concertação Social e o diálogo permanente entre governantes e governados. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA