EUA: discurso contra muçulmanos alimenta propaganda extremista

(AFP)

O discurso contra os muçulmanos na campanha para as eleições presidenciais dos Estados Unidos pode alimentar a propaganda dos grupos islâmicos armados, advertiu nesta segunda-feira a diplomacia americana.

O departamento de Estado, que evita se manifestar sobre a política interna americana, não menciona qualquer candidato à Casa Branca, mas claramente se refere ao magnata Donald Trump, que quer bloquear a imigração de muçulmanos para os Estados Unidos.

“O fato de que os comentários de certo candidato foram usados em um vídeo de recrutamento para um grupo extremista prova precisamente este ponto”, disse o porta-voz John Kirby aos jornalistas.

Alguns comentários “podem ser percebidos pelos mesmos extremistas como alimento para justificar sua narrativa, como motivo para aderir a seu grupo”, destacou Kirby.

Em um vídeo publicado na semana passada, os shebab somalis – ligados à rede Al-Qaeda – utilizaram um trecho do discurso de Trump de Dezembro passado, após um casal de muçulmanos matar a tiros 14 pessoas na Califórnia e dos atentados em Paris que deixaram 130 mortos.

Em seu discurso, Trump propõe a “total e completa suspensão” da entrada de muçulmanos nos Estados Unidos, até que as autoridades americanas sejam “capazes de determinar e entender este problema”.

No vídeo de recrutamento, os shebab convocam os muçulmanos americanos a “escapar da atmosfera opressiva de Ocidente pelas terras do Islão”. (AFP)

DEIXE UMA RESPOSTA