Diretor de cinema italiano Ettore Scola morre aos 84 anos

(AFP)

O director de cinema italiano Ettore Scola, autor entre outros filmes de “Um dia muito especial” e “Nós que nos amávamos tanto”, faleceu nesta terça-feira em Roma, aos 84 anos – noticiou a imprensa italiana, citando fontes médicas.

Nascido em 1931, Ettore Scola era um dos últimos grandes mestres do cinema italiano, director de obras-primas com actores como Marcello Mastroianni, Sophia Loren, Vittorio Gassman e Nino Manfredi.

O chefe de governo italiano, Matteo Renzi, expressou de imediato sua tristeza após a morte deste “maestro dotado de uma capacidade incrível e aguda para ler a Itália, sua sociedade e suas mudanças”.

Segundo veículos de imprensa italianos que citaram fontes médicas, o “maestro” deu entrada no serviço de cirurgia cardíaca da policlínica de Roma, um dos maiores hospitais da capital italiana, onde estava em coma desde domingo.

Ettore Scola começou a escrever roteiros nos anos cinquenta, antes de passar para o outro lado da câmara em 1964 com seu primeiro filme, “Fala-se de Mulheres”, com a participação de Gassman, Mastroianni e Manfredi.

Um de seus filmes mais famosos foi “Nós que nos amávamos tanto”, em que Manfredi, Gassman e Stefano Satta Flores se apaixonam pela deslumbrante Stefania Sandrelli.

Três anos depois, em 1977, dirige “Um dia muito especial”, filme mais político e de grande sensibilidade, em que Marcello Mastroianni e Sofia Loren se descobrem em um amor incipiente, mas impossível, tendo como pano de fundo o fascismo triunfante.

Ettore Scola militou no Partido Comunista Italiano (PCI) e foi ministro da Cultura de um “gabinete sombra” formado em 1989 pelos dirigentes comunistas italianos. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA