Director da educação em Luanda apela encarregados a denunciar actos de corrupção

Andre Soma- director do Gabinte Provincial de Educação de Luanda (Foto: Miudo)

O director do Gabinete de Educação do Governo Provincial de Luanda (GPL), André Soma, apelou aos pais e encarregados de educação a denunciar, junto da direcção local do sector, os caso de cobrança de valores monetários no acto de matrículas.

Em declarações à Angop, o responsável admitiu a hipótese de existirem actos de corrupção, principalmente em escolas do primeiro e segundo ciclo.

De acordo com o responsável, as denúncias devem ser dirigidas ao departamento de inspecção, tendo advertido que quem for apanhado a cobrar valores monetários em troca de matrículas será responsabilizado de forma disciplinar e criminal.

André Soma disse que o Gabinete da Educação colocou em campo inspectores para fiscalizar todo o processo de matrículas e reportar eventuais irregularidades.

Reafirmou não existir nenhuma orientação para cobranças de valores monetários no acto de matrículas nas escolas públicas do primeiro e segundo ciclos de ensino, mas admitiu existirem funcionários com tendências de “criar dificuldades para vender facilidades”.

Aconselhou os pais e encarregados de educação a fazerem as matrículas dentro do circuito legal, rejeitando supostos favores em troca de dinheiro.

Para o presente ano lectivo, a província de Luanda tem disponíveis mais de 40 mil novas vagas, no ensino não universitário.

Durante o ano passado, foram construídas nos municípios e distritos de Luanda mais de 300 novas salas de aulas, no âmbito do Programa de Investimentos Públicos. As vagas são maioritariamente para a iniciação e primeiro ciclo.

O responsável pelo sector da educação em Luanda iniciou terça-feira visitas a diferentes estabelecimentos escolares públicos do município de Luanda, com vista a constatar a preparação do ano lectivo que tem a abertura oficial prevista para Fevereiro no Cine Atlântico, distrito do Rangel. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA