Dhalkama diz que Igreja Católica e Jacob Zuma aceitam mediar negociações

Afonso Dhlakama (VOA)

O presidente da Renamo, Afonso Dhlakama, assegurou nesta segunda-feira ter recebido uma resposta positiva da Igreja Católica e do Presidente sul-africano Jacob Zuma para servirem de mediadores do conflito político-militar moçambicano.

Agora, falta a Frelimo avançar para o diálogo.

“A Igreja Catolica já manifestou a prontidão, só que não pode por si só, estas coisas de mediação sabem, é preciso que ambos os lados estejam disponíveis. È preciso que a Frelimo e o Governo demonstrem também esta boa vontade. E também tenho indicações que o Presidente (Jacob) Zuma está disposto a ajudar os irmãos moçambicanos e ele sabe muito bem disso”, precisou Afonso Dhlakama, líder da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), maior partido da oposição.

Dhlakama fez estas declarações hoje na abertura de uma reunião política do partido ao nível da cidade da Beira, alargado a quadros da província de Sofala.

O líder da Renamo afiançou que as negociações só vão avançar após a constituição da nova equipa de mediação, após destituir pessoalmente a equipe nacional dos observadores do diálogo que o partido mantinha com o Governo.

“Depois de constituírem a Igreja católica e a África do sul, e analisarmos bem, algumas coisas podem avançar”, Afonso Dhlakama, condicionando a realização de todas as negociações em Satunjira (Gorongosa), o quartel-general do movimento, onde vive há três meses.

Dhlakama reiterou, contudo, que vai governar as seis províncias do centro e norte, onde reclama vitória nas eleições de 2014, a partir de Março. (DW)

por André Baptista

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA