Desde dezembro, chuvas provocaram 13 mortes em São Paulo

Vista da Avenida Beira Rio após o Rio Piracicaba transbordar e alagar diversas ruas (Foto: Paulo Ricardo/Futura Press)

Devido ao forte volume de chuvas que atinge o estado de São Paulo desde o início da semana, pelo menos cinco municípios pediram à Defesa Civil estadual a homologação de seus pedidos de situação de emergência. Segundo boletim divulgado hoje (15) pela Defesa Civil, já decretaram estado de emergência os municípios de Guapiara, Sumaré, Águas da Prata, Pompeia e Itapecerica da Serra. Desde dezembro, 13 pessoas morreram no estado por causa das enchentes, informou a Defesa Civil.

Em Águas da Prata, os cinco rios que atravessam a cidade transbordaram: Ribeirão do Quartel, Fartura, da Prata, Ribeirão da Prata e Córrego da Platina. Nos três primeiros, oito pontes sofreram danos, assim como a proteção do leito dos rios. Cinquenta famílias foram atingidas pela enchente, mas todas já voltaram para casa. Segundo a Defesa Civil do município, a ordem já foi restabelecida, e as ruas e casas estão limpas.

Outro município que enfrenta problemas com as chuvas é Juquitiba, que decretou estado de emergência, Há bairros afetados no Distrito dos Barnabés (no início da Serra do Cafezal) e ocorreram 15 desmoronamentos que afetaram 15 famílias, mas não houve mortes. Existem ainda cerca de 100 pontos de escorregamento que interditaram 20 estradas e acessos aos bairros mais distantes; mais de 30 pontos de alagamento, alguns intransitáveis. Além disso, romperam-se pelo menos três represas nos bairros Barnabés, Juquiázinho e Senhorinhas.

Desde as primeiras horas da manhã, o prefeito Francisco Júnior reuniu um gabinete de crise composto por representantes de todas as secretarias municipais e da Defesa Civil para atendimento das famílias afetadas. “Dez famílias foram encaminhadas para uma escola municipal e estão sendo atendidas com alimentos, roupas e água pela assistência municipal”, informou, em nota, Defesa Civil.

Em Piracicaba, que decretou estado de emergência nesta semana, as águas das chuvas começaram a chegar aos rios Piracicaba, Corumbataí e Capivari na tarde da terça-feira, aumentando rapidamente a vazão. A Defesa Civil recebeu o alerta por volta das 18h e iniciou a operação padrão de combate a enchentes. Foram usados oito caminhões, duas viaturas da Guarda Civil e duas viaturas da Defesa Civil, com um total de 35 homens para retirada das famílias. Foram removidas 10 famílias dos bairros Bongue, IAA, Vila Rios e da Região da Rua do Porto. Os pertences de todos foram levados para casas de parentes.

“A maior vazão registrada até o momento foi de 5,87 metros na régua por volta das 10h de quarta-feira (13). Ontem (14) a vazão caiu para 4,87 metros, voltando as águas para o leito dos rios. Na madrugada de hoje (15), porém, os rios voltaram a subir para 5,84 metros, causando novos transbordamentos. Como as famílias já não estão em suas casas, não houve necessidade de nova ação”, informou a Defesa Civil de Piracicaba.

Em Poá, que também está em estado de emergência, as chuvas do último fim de semana deixaram 150 pessoas desalojadas e causaram prejuízos a comerciantes. A prefeitura solicitou ao governo estadual a liberação de maquinário para fazer o desassoreamento do Rio Tietê de modo a permitir o escoamento das águas que invadiram a cidade. O Executivo estadual enviou a Poá dois caminhões com mantimentos, produtos de limpeza e de higiene pessoal.

Em Lençóis Paulista, no centro-oeste do estado, o Rio Lençóis chegou a subir 5 metros acima do leito, deixando 800 desalojados e 100 desabrigados. As famílias estão sendo abrigadas em um ginásio de esportes. Há dificuldades no abastecimento de água por causa do comprometimento da estação de tratamento da cidade.

Estão atualmente desabrigados pelos deslizamentos e enchentes 685 pessoas em todo o estado. A Defesa Civil estadual já enviou auxílio, como kits de higiene e limpeza, para 19 cidades: Nova Campina, Carapicuíba, Suzano, Juquiá, Itapecerica da Serra, Eldorado, Sumaré, São Paulo, Registro, Ribeirão Pires, Cabreúva, Boituva, Taboão da Serra, Jacupiranga, Apiaí, Itaóca, Barra do Chapéu, Peruíbe e Divinolândia. (Diario do Litoral)

por Agência Brasil

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA