Cuanza Norte: Escola de Técnicos de Saúde lança 172 profissionais no mercado de trabalho

finalistas do curso de Técnicos de saúde (Foto: Eliseu Veloso)

Cento e 72 finalistas da Escola de Formação de Técnicos de Saúde “Arminda Faria”, em Ndalatando, Cuanza Norte, receberam no sábado os certificados dos cursos de enfermagem e análises clínicas.

Na cerimónia orientada pelo vice-governador provincial para a esfera política e social, José Alberto Quipungo, receberam os diplomas 44 técnicos especializados em análises clínicas e 128 em Enfermagem Geral, após uma formação de quatro anos.

O director da instituição, Damião Francisco Caludica, disse que os finalistas têm competências, capacidades e a qualificação necessária para exercerem as suas actividades, contribuindo assim para a melhoria da assistência médica e medicamentosa a nível da região e do país.

Damião Caludica lembrou que os finalistas foram submetidos a um estágio curricular por seis meses, em diferentes unidades sanitárias da província, visando a preparação dos temas de defesa para o fim de curso submetidos à apreciação do júri, que considerou positivo o aproveitamento dos mesmos.

Apelou os novos técnicos a aplicarem na prática os conhecimentos adquiridos e a apostarem na investigação científica, visando a busca constante de conhecimentos.

Reafirmou o compromisso da instituição que dirige de continuar a proporcionar um ensino de qualidade.

“A vossa missão não termina por aqui. Esperamos de vocês, aí onde estiverem, um desempenho com zelo, dedicação e ética das vossas funções”, augurou.

Por seu turno, em mensagem lida na ocasião, os estudantes agradeceram a instituição pela formação e comprometeram-se a contribuir com os conhecimentos adquiridos no combate às enfermidades que assolam o país, visando a garantia da saúde dos cidadãos.

A Escola de Formação de Técnicos de Saúde “Arminda Faria”, em Ndalatando, dispõe de 15 salas de aulas. No ano lectivo 2015 contou com mil, 846 alunos nos cursos de análises clínicas, enfermagem geral, farmácia, radiologia e fisioterapia, assegurados por 67 professores. Deste número, mil, 505 alunos terminaram o ano lectivo com aproveitamento, 276 reprovaram e 65 desistiram.

Testemunharam o acto de outorga de certificados e diplomas, que decorreu no centro cultural Alda Lara, membros do governo, directores de escolas do município de Cazengo, representantes das Forças Armadas Angolanas (FAA) e da Polícia Nacional, da Organização Mundial da Saúde (OMS) na região, familiares, amigos e convidados dos finalistas.

Momentos culturais com teatro e entrega de estímulos, como computadores portáteis e telemóveis aos quatro melhores finalistas, marcaram a cerimónia. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA