Crescimento da actividade privada na Euro-zona segue em desaceleração

(AFP)

O crescimento da actividade privada na zona do euro permaneceu em desaceleração em Janeiro, segundo a primeira estimativa do índice PMI, elaborado pela empresa de consultoria Markit.

O índice composto da actividade total na Euro-zona ficou, segundo a empresa, em 53,5 pontos, contra 54,3 pontos em dezembro, o que constitui o menor nível em 11 meses.

“A atenuação do ritmo de crescimento da actividade comercial da zona euro no início de 2016 é desalentadora, mas não nos surpreende, devido à incerteza provocada pela volatilidade observada no mercado financeiro no decorrer do ano”, disse Chris Williamson, economista chefe da Markit.

Mas Williamson afirmou que não é necessário ficar preocupado.

“Os dados da pesquisa apontam um aumento do PIB trimestral a um ritmo estável de 0,3-0,4% no início do ano”, disse.

Por países, o estudo aponta uma desaceleração do crescimento da Alemanha ao menor índice em três meses, mas o cenário não impede que a maior economia do bloco actue “com um importante gerador de crescimento para a região em seu conjunto”.

Em contraste, na segunda maior economia do bloco, a França, “a actividade comercial cresceu modestamente, com uma leve melhora em relação ao nível de quase estagnação observado em dezembro”.

O restante da região “permaneceu com um sólido crescimento da actividade total e do emprego, mas com ritmos de expansão levemente menos pronunciado” que nas estatísticas anteriores.

O índice PMI, elaborado segundo o método de pesquisas de um “painel representativo” de 5.000 empresas dos sectores de serviços e manufacturo, aponta uma expansão da actividade quando é superior a 50 pontos e uma contracção quando fica abaixo do valor. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA