Costa já tem ‘carta na manga’ para que Bruxelas aceite défice de 3%

(DR)

Novo Executivo pretende seguir o caminho da redução do défice orçamental, mas a um ritmo mais lento do que previra o governo de Passos Coelho.

Os números do anterior governo eram mais apetecíveis aos olhos de Bruxelas, mas mais exigentes para o país: 2,7% para 2015 e 1,8% de défice em 2016. Para que a Comissão Europeia consiga aceitar esta alteração nos números, Costa pretende relembrar Merkel daquilo que aconteceu nos anos 2000, quando a Alemanha e a França entraram em incumprimento do défice, o que levou à suspensão da aplicação das regras do Pacto de Estabilidade.

Essa foi a informação adiantada pela fonte do Governo ouvida pelo DN: “O Governo vai usar a situação da França e da Alemanha [em 2003], mais do que a actualmente vivida pela Espanha, para não cumprir o estipulado pelo governo anterior”.

A mesma fonte garante ainda que o défice “não ultrapassará a meta dos 3%”, o que irá permitir “manter a trajectória de descida do défice, mas a um ritmo mais prolongado”, tal como “cumprir o Pacto de Estabilidade e sair do Procedimento por Défice Excessivo, recuperar a economia e diminuir a carga de austeridade”. (Noticias ao Minuto)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA