CHAN2016: Angola tenta primeira vitória para relançar luta aos quartos-de-final

Retrospectiva desportiva 2011 (Foto: Angop)

Proibida de perder, sob pena de ver gorado o apuramento para a próxima fase, a selecção nacional de futebol tenta quinta-feira a sua primeira vitória diante da congénere da RD Congo e assim relançar a luta aos quartos-de-final do Campeonato Africano das Nações para atletas que evoluem nos seus respectivos países (CHAN2016), que decorre no Rwanda.

Após derrota na estreia por 0-1, frente os Camarões, no passado domingo, aos Palancas Negras não resta outra opção senão o triunfo, caso contrário dirão adeus mais cedo à competição.

Caso perca o desafio diante dos congoleses e os camaroneses suplantem os etíopes ou até mesmo empatem, o combinado nacional não terá mais hipóteses de apuramento e consequentemente falhará o objectivo de melhorar o segundo lugar alcançado no CHAN2011, no Sudão.

Por isso, só mesmo a vitória para manter a “chama da esperança acesa”, uma vez que somaria três pontos, os mesmos do seu adversário de ocasião, que na ronda inaugural derrotou a Etiópia por 3-0.

Em caso de empate entre Palancas Negras e Simbas, mais uma vez as “calculadoras entram em acção” para as já habituais contas, que quase sempre acabam em desfavor dos angolanos. A repartição de pontos colocaria a selecção nacional com um ponto e o adversário com quatro. Se no outro jogo as previsões se confirmarem e os camaroneses suplantarem os etíopes, chegarão aos seis pontos.
Com este cenário os Camarões asseguram antecipadamente o apuramento e a última jornada vai determinar o seu acompanhante para os quartos de final. Assim, Angola é obrigada a vencer a Etiópia e esperar que a RDC não pontue diante dos Camarões.

Desta forma, com a Etiópia em último só com derrotas, os camaroneses com nove pontos vencem o grupo. A selecção nacional e a congénere congolesa somariam quatro pontos cada uma e será apurado o conjunto que tiver vantagem no sistema de desempate.

De acordo com o regulamento da CAF para esta prova, continuará em prova a selecção a selecção que tiver o melhor saldo entre golos marcados e sofridos, já que, neste caso, os três primeiros sistemas de desempate não resolvem o problema.

Há um outro cenário possível para Angola tentar o apuramento, que é terminarem três equipas com seis pontos. Para tal, Angola e Camarões venceriam na segunda ronda, quinta-feira, e na terceira e última ronda, o Congo venceria os Camarões e Angola suplantava a Etiópia.

Com empate a seis pontos no topo da classificação (Angola, Congo e Camarões), o primeiro critério de desempate daria primazia a quem tivesse obtido o maior número de pontos no jogo entre os três. Mas como este não resolveria, seria levado em conta a melhor diferença de golos entre as selecções envolvidoa; e em seguida, caso necessário, terá primazia quem tiver marcado mais golos nos jogos entre os três.

Se nenhum destes critérios resolver, o regulamente prevê o desempate através da melhor diferença de golos de todo grupo.

Em face disso, o conjunto nacional além de ter de vencer os seus jogos, deve procurar fazê-lo com melhor margem de golos possível. Um indicador positivo é que apesar da derrota os Palancas Negras sofreram apenas um golo com Camarões. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA