BNA cria condições para sucesso dos programas dirigidos

José Pedro de Morais - governador do BNA Foto: Lucas Neto)

O papel do Banco Nacional de Angola (BNA), no conjunto de orientações aprovado pelo Conselho de Ministros para fazer face ao “choque externo” que a economia nacional atravessa, é de criar condições para que os programas dirigidos pelo Executivo possam ter sucessos.

A informação foi avançada hoje, quarta-feira, à imprensa, em Luanda, pelo governador do BNA, José Pedro de Morais, à margem da 1ª reunião do Conselho de Ministros, orientada pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, tendo referido que tais condições dizem respeito à questão monetária da economia nacional.

“O BNA terá de controlar a injecção de liquidez na economia de tal forma que as taxas de juro possam se desenvolver dentro de um corredor, que por um lado permita o financiamento sustentável do tesouro, mas que permita também que os bancos possam captar recursos de forma competitiva”, clarificou.

Explicou que as outras condições do BNA têm a ver com o lado cambial e neste aspecto particular, exige-se que o Banco Nacional de Angola possa canalizar os recursos em divisas para os programas prioritários que são o resultado deste conjunto de orientações aprovados agora pelo Governo.

Para este ano, frisou, o BNA tem recursos em divisas suficiente para gerar as taxas de crescimento que serão fixadas no quadro dos instrumentos de programação do Governo.

Na sessão do Conselho de Ministros, realizada no Palácio Presidencial, foi aprovada uma estratégia para fazer face à crise derivada da queda acentuada do preço do barril de petróleo no mercado internacional. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA