Bié: Responsável da Agricultura convida agricultores para a produção do café arábica

Director provincial da Agricultura e Pescas no Bié Foto: Angop)

O director da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas da província do Bié, Marcolino Rocha Sandemba, incentivou hoje, quinta-feira, na cidade do Cuito, os camponeses da região a superarem, nos próximos anos, as 200 toneladas de café arábica produzidas em 2015.

O director fez esse desafio aos cafeicultores dos municípios do Andulo e Nhârea (130 e 172 quilómetros a norte), por sinal são duas áreas potencialmente e com solos férteis para a produção do café arábica no Bié, no sentido de aumentarem os níveis de colheita no presente ano, tendo em conta expansão do cultivo do “bago vermelho” no interior da região.

Disse que anualmente são produzidas mais de 200 toneladas de café arábica nos municípios de Andulo e Nhârea, incluindo outras poucas quantidades produzidas noutras regiões da província, acrescentando que metade deste produto foi comercializado com sucesso em 2015, as províncias de Malanje, Cuanza Sul, Moxico e Huambo.

A par do convite para o aumento da produção, segundo Marcolino Rocha Sandemba, o sector que dirige continuará a promover acções de formação dirigida aos cafeicultores, sobre os novos métodos e técnicas para o cultivo do “bago vermelho”, apesar de enumerar alguns constrangimentos com que ainda se debatem, tais como, o acesso aos canais de escoamento, créditos bancários, entre outros para impulsionar cada vez mais a produção do café.

Voltou a defender a necessidade da classe empresarial juntar-se este ano, aos investimentos da agricultura, especialmente no cultivo e comercialização do café, por forma a expandir-se aquela actividade agrícola nos demais municípios da província do Bié.

No âmbito do Programa de Agricultura Familiar, Marcolino Rocha Sandemba asseverou ainda que, esta iniciativa tem estado a contribuir na recuperação imediata da cultura do café, bem como permitir o incremento e fomento da produção, através de núcleos ou polos de desenvolvimento constituídos nas embalas.

Assim, o director da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas confirmou que, constitui ainda desafios daquele sector, a preparação e instalação de alfobres para a produção de duas mil mudas e sua distribuição aos produtores, visando garantir a renovação da cultura a médio prazo do café.

Marcolino Rocha Sandemba afirmou ainda que constituem também desafios do sector, para este ano, apostar igualmente na criação de novas áreas de produção do café, com plantas de alto rendimento e produtividade, reforçar a campanha de comercialização do produto, por formas a motivar os cafeicultores a aumentar a produção do mesmo.

Actualmente, a Direcção da Agricultura e Desenvolvimento Rural na província do Bié controla 295 cafeicultores e 147, 5 hectares de área produtiva. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA