Benguela: Novo ano escolar arranca com mais de 900 mil alunos no ensino geral

Benguela: Alunos da escola do 2º ciclo Liceu Comandante Kassanji" (Foto: António Lourenço/Arquivo)

Novecentos e noventa mil alunos matriculados, na província de Benguela, em várias classes no subsistema de ensino geral, com particular relevo para o ensino primário, iniciam, segunda-feira, o ano lectivo de 2016, aberto oficialmente sexta-feira em todo o país.

O dado foi anunciado pelo governador provincial, Isaac dos Anjos, quando presidia à cerimónia da abertura do ano lectivo, que decorreu no novo Instituto Médio Agrário Joaquim Kapango, zona das Bimbas, arredores da cidade de Benguela.

Segundo o governante, para este ano lectivo, as matrículas ultrapassaram a cifra de 990 mil alunos, que estarão distribuídos num universo de mil e 245 escolas do ensino público e 86 outras da rede privada.

Isaac dos Anjos acrescenta que o sector da educação tem disponível para o presente ano académico nove mil e 786 salas públicas e comparticipadas, assim como 632 salas do ensino privado.

Adiantou que vão leccionar nas diversas escolas da província 25 mil e 547 professores, tanto no ensino primário quanto no secundário

Mostrou-se, no entanto, preocupado com a insuficiência de inspectores, com 54 técnicos para um elevado número de docentes, estando aquém do número ideal para dar resposta ao elevado trabalho que o sector acarreta.

O governador defendeu a necessidades serem construídas mais escolas, para enquadrar todas as crianças da província, pelo facto das actuais escolas não chegarem, fazendo que crianças não estudem.

“O ano lectivo 2016 ficarão sem aulas cerca de oito mil alunos do total de 30.117 novos ingressos no 2ª ciclo do ensino secundário”, explicou.

A abertura do ano lectivo acontece numa altura em que as autoridades locais, com vista a colmatar o problema da insuficiência de infra-estruturas, apostam na abertura de mais espaços escolares como o Instituto Médio Agrário Joaquim Kapango, as escolas do 1º ciclo do ensino secundário, nomeadamente “Paulo Teixeira Jorge” (ex-liga), “Tomás Ferreira” e “Comandante Valódia”.

O governo provincial prevê, ainda neste ano, a conclusão da construção das obras dos institutos médios do Cubal, Balombo e Baía Farta, além do Magistério Primário de Benguela e do Instituto Médio de Educação Física de Benguela, que decorre no âmbito do plano de aumento de infra-estruturas escolares no ensino secundário do 2º ciclo.

A província de Benguela contou em 2015 com um milhão, 36 mil e 487 alunos matriculados em diferentes subsistemas de ensino geral, sendo 661.557 para o ensino primário, 141.878 para o I ciclo do ensino secundário e 50.559 para o 2º ciclo do ensino secundário, incluindo o subsistema de ensino técnico-profissional e o de formação de professores. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA