Benguela: Ambientalista advoga exploração de granito no Cubal

Exploração de rochas ornamentais (Foto: orais Silva)

O ambientalista angolano Silvano Levi afirmou domingo, que o município do Cubal, na província de Benguela, tem grande potencial geológico, mormente rochas graníticas, que carecem de exploração, visando contribuir para a diversificação da economia nacional.

O ambientalista intervinha numa palestra, sob o tema “Cubal, geo-recursos e suas potencialidades”, enquadrada no programa das festividades alusivas aos 48 anos da fundação da cidade do Cubal, a assinalarem-se no próximo dia 23 de Janeiro.

Silvano Levi considera que o afloramento de granito do Cubal representa uma oportunidade ímpar para a diversificação da economia e o desenvolvimento daquela região, daí ser necessário a sua exploração.

Apontou que, para além das rochas graníticas, os recursos argilosos e hídricos, existentes em abundância no subsolo dessa região, constituem fonte de divisas, por isso manifestou-se a favor de que esse potencial geológico seja explorado, para dinamizar a economia, com múltiplas vantagens para o empresariado local.

Silvano Levi afirmou que, através da argila, por exemplo, se podem confeccionar panelas e outros utensílios domésticos, assim como telhas e tijolos, no domínio da construção civil.

Para ele, o aproveitamento das rochas graníticas, para o fabrico de brita, empregue na construção civil, na feitura de mosaico e de ornamentos, deve merecer, de todos, uma reflexão mais ampla, no referente à sua exploração.

“Num passado recente, o Cubal era detentor de grandes indústrias de cerâmica que, se fossem aproveitadas, poderiam dar um grande impulso à economia local”, recordou.

Quanto aos recursos hídricos, referiu que a localidade é atravessada por grandes linhas de água, como os rios Catumbela, Cubal da Ganda, Cubal da Hanha e Coporolo, sem que, no entanto, se faça uma exploração hidrológica. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA