Angola preside Comité Económico do Grupo Africano no Brasil

Embaixador de Angola no Brasil, Nelson Cosme (Foto: Pedro Parente/arq)

O Comité Económico do Grupo dos Embaixadores Africanos no Brasil, presidido por Angola, na pessoa do embaixador Nelson Cosme, manifestou a sua satisfação pelos mecanismos criados pelo Governo Brasileiro, através dos Serviços da APIEX (Agência de Promoção de Investimentos e das Exportações) e BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social), para facilitar o comércio e os investimentos com os países africanos.

A posição africana resultou do primeiro encontro anual do Comité Económico do Grupo dos Embaixadores Africanos, que se realizou sábado na Embaixada de Angola em Brasília.

Durante o encontro, os embaixadores africanos traçaram as metas do seu plano de trabalho para 2016, onde se destacam reuniões de alto nível com as autoridades brasileiras, tendo em vista o alavancar das relações Brasil-Africa em relação à cooperação económica e comercial, que em 2015 se situou em mais de 30 biliões de dólares e ultrapassou os números de 2000, quando as trocas comerciais entre os dois parceiros atingiram os cinco biliões de dólares.

Os embaixadores africanos consideraram como prioridade a concertação político-diplomática com o Brasil a fim de conjuntamente estudar formas de melhorar e de reforçar os mecanismos de acompanhamento das acções de cooperação acordadas e promover outras num contexto em que muitos países africanos começam a manifestar grande interesse de investir mais em terras brasileiras.

Neste âmbito, prevê-se para Fevereiro de 2016 encontros com os ministros da área Produtiva, Desenvolvimento, Indústria, Comércio Exterior e Investimentos, oportunidade em que se fará o balanço das recomendações saídas do Seminário Internacional sobre Promoção de Investimentos em África, realizado a 15 de Setembro de 2015, na capital brasileira, iniciativa que permitiu a troca de conhecimentos sobre as oportunidades de negócios e sobre o tecido económico e empresarial africano por um lado, e, por outro, sobre as actividades das instituições brasileiras, como o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, a APIEX, a CAMEX (Câmara do Comércio Exterior) e o BNDES no fomento do comércio exterior.

As relações entre o Brasil e África têm se intensificado nos últimos anos, estando actualmente acreditadas em Brasília 34 embaixadas africanas, enquanto o Brasil está representado ao nível de embaixadas em 37 países africanos. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA