Angola permanece estável no domínio político e social – Presidente da República

Presidente José Eduardo dos Santos (Foto: F. Miudo/Arq)

O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, afirmou hoje, sexta-feira, em Luanda, que no país a situação permanece estável, do ponto de vista político e social, registando-se uma cada vez maior consolidação da unidade e da reconciliação nacional.

“No plano económico os desafios são hoje maiores, por causa da incerteza dos preços das matérias-primas no mercado internacional, mas continuamos a trabalhar para reajustar os nossos Programas e Planos de Acção e encontrar os caminhos para manter a estabilidade e proteger as condições de vida e as conquistas do povo angolano”, sublinhou o chefe de Estado, na tradicional cerimónia de Cumprimentos de Ano Novo por parte do corpo diplomático.

Salientou, por outro lado, que, a nível regional, Angola cumpriu com grande empenho o seu mandato de dois anos como Presidente da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos, contribuindo para a resolução ou início de solução dos conflitos que afectam vários países.

“Desejamos que a realização de eleições na República Centro-Africana, que decorreram em condições aceitáveis, permitam dar início à rápida normalização da vida do país e que o processo de formação do Governo de União Nacional no Sudão do Sul seja coroado de êxito e conduza o país à pacificação total e à retoma da estabilidade económica”, sustentou o estadista angolano.

Adiantou que Angola assume em Março a presidência do Conselho de Segurança das Nações Unidas e fará tudo o que estiver ao seu alcance para corresponder às expectativas depositadas na gestão dos assuntos da agenda da ONU.

O Presidente José Eduardo dos Santos acrescentou que a realização desta cerimónia, no início de cada ano, constitui já uma tradição e muito o apraz, nesta ocasião, manter um diálogo informal com os representantes dos países com os quais Angola mantém relações de amizade e cooperação.

O estadista enfatizou o convívio e a troca de pontos de vista sobre as realizações do ano transcorrido e sobre a forma de enfrentar e superar os desafios que o novo ano coloca.

Agradeceu a contribuição dos diplomatas para a melhoria e fortalecimento das relações multiformes que ligam os respectivos países e a República de Angola. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA