Angola apoia iniciativas de paz na região – Ministro João Lourenço

Ministro da Defesa Nacional de Angola, João Lourenço (Foto: Henri Celso)

A República de Angola vai continuar a apoiar todas as iniciativas que visam salvaguardar a paz na região e no continente, assegurou nesta sexta-feira, em Luanda, o ministro da Defesa Nacional.

Segundo João Gonçalves Lourenço, que se diria aos adidos militares acreditados em Angola, o país vai continuar a pronunciar-se a favor dessas iniciativas e acções da comunidade internacional, visando restaurar a paz e a estabilidade, bem como fazer a promoção do permanente dialogo e cooperação entre as Nações.

Quanto a situação político-militar na Região dos Grandes Lagos, onde Angola mantém a presidência da Conferência Internacional, disse constatar com agrado a evolução da situação de paz e de estabilidade na República Centro Africana (RCA).

Com as eleições realizadas naquele país, João Lourenço disse acreditar que acaba de dar um passo importante no caminho da normalização do seu progresso de desenvolvimento e de bem-estar das populações.

Augurou que os países onde ainda não haja paz definitiva, como a República Democrática do Congo, o Burundi e o Sudão do Sul, possam registar progressos, na certeza de que algo de positivo seja conseguido este ano, se houver vontade política de todas as partes intervenientes, para pôr fim ao sofrimento dos povos, ao saque e à pilhagem do património público.

“Acreditamos que, através do diálogo construtivo e da tomada de medidas conjuntas, é possível ter em conta as legítimas preocupações e interesses de todas as partes envolvidas e encontrar soluções justas e duradouras para estes países”, disse.

Anunciou que em 2016, apesar da menor disponibilidade de recursos, as Forças Armadas Angolanas vão prosseguir com o seu progresso de modernização e de superação dos quadros e especialistas, de modo a continuar a garantir com eficácia a defesa da Pátria, da independência e soberania nacionais, da paz, unidade nacional e integridade territorial.

Explicou que no âmbito dos compromissos internacionais, no quadro da União Africana, da SADC, CEEAC, CPLP, entre outras organizações regionais e continentais, Angola vai manter a prontidão com os meios requeridos, para participar com sentido de responsabilidade nas diversas missões ou exercícios a que for convidada a participar.

“Nesta perspectiva, comungamos das inquietações de praticamente todos os países amantes da paz, com relação ao evoluir da insegurança e instabilidade reinante em várias regiões do mundo e com tendência de se alastrar cada vez mais” frisou João Lourenço.

De acordo com o ministro, estas situações são provocadas por factores negativos que devem continuar a merecer especial atenção e actuação, com vista a construir um mundo cada vez melhor e mais seguro para todos.

“As acções terroristas que se assistem hoje em todos os continentes, a situação de insegurança na Região dos Grandes Lagos são assuntos que devem fazer parte de forma permanente da agenda, por constituírem uma séria ameaça à paz e segurança internacional” salientou. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA