Acampamento do Fórum Social Mundial recebe primeiros participantes em Porto Alegre

O ativista Oscar Tinajero veio do México para participar do evento pela nona vez Foto: Júlio Cordeiro / Agencia RBS

Edição temática do evento, que completa 15 anos em 2016, começa na próxima terça-feira, dia 19, na Capital, e segue até o dia 23. O tradicional acampamento da juventude, que se tornou uma das marcas registradas do Fórum Social Mundial em Porto Alegre, começou a ganhar forma no fim de semana. Com abertura prevista para terça-feira, a edição temática do evento — que completa 15 anos — segue até o próximo sábado.

Qual o balanço das causas do Fórum Social Mundial 15 anos depois da primeira edição em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Um dos primeiros a chegar foi o mexicano Oscar Tinajero, 62 anos. Sob as árvores do Parque da Harmonia, ele montou a barraca pela nona vez na Capital.

— Vim ao primeiro fórum a pé, desde a Cidade do México. Foram seis meses de viagem. Sou peregrino da paz e acredito que temos de trabalhar a espiritualidade. Por isso estou aqui de novo — diz Tinajero, que, dessa vez, conseguiu ajuda para vir de avião.

Até a tarde deste domingo, a organização contava com cerca de 1,2 mil inscrições prévias para o espaço destinado às tendas, que terá 40 banheiros químicos, 30 chuveiros, cozinha coletiva, área de convivência com computadores e internet e — em tempos de zika, dengue e chikungunya — armadilhas para mosquitos e distribuição de repelentes.

Tarso Genro: “Acho que hoje as ideias, o projeto e o modo de vida neoliberal estão vencendo de novo em escala mundial”

— Em 2014, os movimentos sociais se desmobilizaram, e o acampamento recebeu apenas 300 participantes. Neste ano, acreditamos que vamos ter 1,5 mil. O cenário de crise é propício para o debate — afirma Pedro Igor Chaves, 23 anos, do comitê organizador.

São esperados ônibus com estudantes universitários da Bahia, do Rio de Janeiro e de diferentes regiões do Estado. Também são aguardados participantes vindos de fora do país, de cidades da Bolívia, dos Estados Unidos e da Tunísia.

Boaventura de Sousa Santos: “O fórum foi uma iniciativa de inclusão sem precedentes”.

O credenciamento, segundo Dante dos Santos Menendez, que também integra a organização, estará aberto no local 24 horas por dia até o fim do evento. A taxa para receber o kit com bolsa, crachá e material de apoio, é de R$ 20.

Este ano, a proposta da edição temática é fazer um balanço dos 15 anos do fórum e discutir desafios e perspectivas na luta por um outro mundo possível. O debate antecede a próxima conferência global, que ocorrerá no Canadá, em agosto.

A PROGRAMAÇÃO DO PRIMEIRO DIA

TERÇA-FEIRA, 19:

9h – Ato pela paz e tolerância regiliosa, no auditório Dante Barone, na Assembleia Legislativa

15h – Concentração para a marcha de abertura no Largo Glênio Peres, no Centro

18h – Marcha de abertura do fórum, com destino ao Largo Zumbi dos Palmares

20h – Show de abertura no Largo Zumbi dos Palmares (Jornal Zero Hora)

por Juliana Bublitz

DEIXE UMA RESPOSTA