Abertura dos mercados: Bolsas descem 2% e petróleo volta aos 28 dólares

(Bloomberg)

As bolsas europeias estão em queda esta quarta-feira, negociando em mínimos de Dezembro de 2014. Isto depois de os índices japoneses terem entrado em mercado urso, e de o petróleo ter voltado para terreno negativo.

Os mercados em números

PSI-20 cai 1,95% para 4.587,78 pontos

Stoxx 600 perde 2,10% para 325,93 pontos

Nikkei desvalorizou 3,71% para 16.416,19 pontos

Juros da dívida portuguesa a dez anos descem 3,1 pontos base para 2,736%

Euro sobe 0,52% para 1,0964 dólares

Petróleo em Londres desce 2,23% para 28,12 dólares o barril

Bolsas europeias em queda

As bolsas europeias estão em queda esta quarta-feira, 20 de Janeiro, prolongando o pessimismo da sessão japonesa, onde os principais índices entraram em “mercado urso” (quando a queda face ao máximo supera os 20%). O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, cai2,10% para 325,93 pontos.

Na bolsa nacional, o PSI-20 desce 1,95% para 4.587,78 pontos, o valor mais baixo desde Agosto de 2012. A pressionar está sobretudo o BCP, que afunda 4,53% para 3,37 cêntimos.

Juros descem na Europa

Os juros da dívida portuguesa estão a aliviar, acompanhando a tendência da generalidade dos países do euro. A ‘yield’ associada às obrigações de Portugal a dez anos cai 3,1 pontos base para 2,736%, no dia em que o IGCP vai regressar ao mercado para um duplo leilão de bilhetes do Tesouro a seis e a 12 meses. Após ter conseguido colocar quatro mil milhões de euros em obrigações do Tesouro a 10 anos numa emissão sindicada feita na passada quinta-feira, 14 de Janeiro, o IGCP tenta agora obter entre 1,25 mil milhões e 1,5 mil milhões de euros.

Euro sobe face ao dólar. Iene aproxima-se de máximos de Agosto

A moeda única europeia está a ganhar terreno face ao dólar pela segunda sessão consecutiva. Sobe 0,52% para 1,0964 dólares. Em alta está também o iene, numa altura em que a forte queda das acções asiáticas e do preço das matérias-primas está a levar os investidores a aumentarem a procura por activos de refúgio. A divisa japonesa ganha 0,8% para 116,69 por dólar, próximo do valor mais elevado desde 24 de Agosto.

Petróleo volta às quedas

Depois de ter recuperado terreno na sessão de ontem, o petróleo voltou a negociar com sinal vermelho esta quarta-feira, antes de serem divulgados os dados da Administração de Informação de Energia (EIA, na sigla inglesa) sobre as reservas de crude dos Estados Unidos.

O West Texas Intermediate (WTI), negociado em Nova Iorque, desce 3,02% para 27,60 dólares, enquanto o Brent, transaccionado em Londres, desliza 2,23% para 28,12 dólares. Segundo estimativas compiladas pela Bloomberg, os dados da EIA deverão revelar que os inventários aumentaram em 2,75 milhões de barris na semana passada.

Ouro em alta

A forte queda das acções japonesas e do preço das matérias-primas está a aumentar a procura por activos de refúgio, como o ouro. Como tal, o metal precioso está a valorizar 0,59% para 1.093,79 dólares por onça. Já a prata sobe 0,54% para 14,1025 dólares.

Destaques do dia

BCP e Mota-Engil na mira dos especuladores. Mota-Engil e BCP registaram um aumento das apostas na descida do valor das acções face ao início de 2015. Os investidores com estratégias curtas conseguem uma rentabilidade de 20% desde o início do ano.

Família Mota reforçou na construtora no dia em que as acções caíram 18%. A Mota Gestão e Participações, principal accionista da empresa, e a própria construtora estiveram activas no mercado na sessão de segunda-feira.

Novo Banco: Fundo de Resolução paga parte das perdas com dívida. O Fundo de Resolução está a preparar-se para compensar uma parte das perdas registadas pelos investidores com dívida sénior do Novo Banco. Fundo também assumirá os custos dos processos que tribunais atribuam ao banco de transição.

José Veiga vence corrida ao Novo Banco de Cabo Verde. O empresário saiu vencedor da corrida ao Banco Internacional de Cabo Verde. Novo Banco vai receber 14 milhões nesta venda, quando o Banco de Portugal autorizar.

BPI admite avançar com proposta pelo Novo Banco a um “preço justo”. O BPI admitiu a investidores presentes na Conferência Ibérica do Haitong voltar a candidatar-se à compra do Novo Banco, desde que a um “preço justo”. Já os investidores receiam os impactos negativos da recapitalização na instituição para os bancos portugueses.

BlackRock volta a entrar numa cotada em Portugal. A BlackRock assumiu uma participação qualificada na Jerónimo Martins, isto depois de já ter entrado na última semana nos CTT. Mesmo tendo sido uma das empresas afectadas pela transferência de dívida do Novo Banco para o BES.

A geoestratégia que está a derrubar os preços do petróleo. O petróleo tem vindo sistematicamente a renovar mínimos. Há um conjunto de factores e interesses que se conjugam para determinar este comportamento. E o ressurgimento do Irão na cena internacional deverá dificultar a estabilização das cotações.

O que vai acontecer hoje

Davos. Arranca o Fórum Económico Mundial, que irá decorrer até 23 de Janeiro.

Goldman Sachs. Divulgação dos resultados do quarto trimestre de 2015.

Sonae. Vendas preliminares em 2015 (após fecho dos mercados).

IGCP. Duplo leilão de Bilhetes do Tesouro.

INE. Síntese Económica de Conjuntura, relativa a Dezembro.

EUA. Índice de preços no consumidor, relativo a Dezembro. (Jornal de Negocios)

por Rita Faria

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA