[1-1] ‘Dragão’ sem ideias volta a comprometer no regresso a casa

(DR)

O FC Porto voltou a não conseguir vencer e foi alcançado pelo Benfica na tabela classificativa. O Sporting, por seu lado, venceu e ganha distância aos rivais.

Resumo do encontro: O FC Porto voltou a não conseguir vencer esta noite o Rio Ave. Os portistas entraram em campo mostrando muita vontade de apagar a má imagem deixada no estádio de Alvalade, mas no final do encontro voltaram a ver-se lenços brancos e a ouvir-se assobios nas bancadas. Mas vamos à análise do jogo.

Depois de um bom início de encontro, com a equipa a ser recebida em clima de apoio, os portistas chegaram à vantagem com um golo do capitão Herrera. Com Maicon no banco, ao lado de Rúben Neves – ambos os jogadores foram titulares frente ao Sporting – tudo parecia bem encaminhado para uma vitória.

Porém, um golo às ‘três tabelas’ de João Novais, um pouco à semelhança do golo do mexicano, aos 33 minutos, viria a revelar-se fatal para as aspirações portistas.

É que a partir daí a equipa pareceu ficar algo intranquila. André André ainda esteve próximo do golo na primeira parte, atirou ao poste e não conseguiu fazer a recarga.

Por outro lado, no segundo tempo, a formação orientada por Julen Lopetegui balançou-se completamente no ataque. Os ‘azuis e brancos’ atiraram-se para cima do adversário, mas a formação orientada por Pedro Martins resistiu a tudo.

Aboubakar tentou. Brahimi foi um dos mais inconformados, como tem acontecido nos últimos jogos, Maxi tentou, mas parece notório que falta qualquer coisa a este FC Porto. Com poucas opções para a frente de ataque, com um meio-campo que parece, por vezes, desligado, e uma defesa que às vezes complica, há muito a corrigir no Dragão.

Fica, novamente, a mensagem de que os portistas estão a passar por um momento complicado, sendo incerto se Lopetegui conseguirá aguentar a pressão das bancadas, e previsivelmente, da estrutura portista.

Momento do jogo: aos 40 minutos, André André teve uma oportunidade clara de golo. O médio atirou de cabeça ao poste e, na recarga, atirou depois para grande defesa de Cássio. Parece-nos que se a bola tivesse entrado, o golo teria feito renascer a força que faltou à equipa durante a restante partida. (Noticias ao Minuto)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA