Valorização da família

Filomena Delgado - Ministra da familia e promoção da mulher (Foto: Lucas Neto)

A ministra Filomena Delgado apelou, ontem, às famílias angolanas no sentido de servirem de fonte de inspiração para os seus membros e colocarem a sua valorização nas prioridades para o próximo ano.

Numa mensagem por ocasião do Natal, a ministra da Família pede que se evidenciem os verdadeiros valores da família, como o amor, a solidariedade, o respeito, a tolerância, a disciplina, a cultura de trabalho, a paz e a harmonia familiar.

“Os aspectos comuns e característicos da data residem no facto de constituir mais um dia em que as famílias se reúnem para reflectir sobre o posicionamento de cada um, numa hierarquia que segue normalmente os ditames da nossa tradição, dos nossos valores e da nossa identidade própria, enquanto unidades familiares”, lê-se na mensagem, na qual manifesta “indignação e repúdio” pelos actos de negligência e fuga à paternidade que acontecem no país.

A ministra da Família manifestou rejeição aos comportamentos violentos. “Se cada um de nós, famílias, organizações da sociedade civil, igrejas, e autoridades fizer bem a sua parte, estaremos mais próximos de alcançar os objectivos de desenvolvimento sustentável, assentes na valorização do capital humano e das famílias”, afirmou a ministra, lembrando que o Dia da Família (Natal) tem uma tradição de enorme simbolismo entre os angolanos, enquanto membros de agregados familiares.

“Que o espírito natalício se transforme numa constante que ilumine e guie todas as famílias angolanas e estrangeiras para que elas sejam efectivamente a nossa“.

Filomena Delgado elogiou o trabalho do Executivo para conceber, aperfeiçoar e implementar políticas públicas com vista à criação de condições para o bem-estar dos cidadãos em todo o território. Na mensagem, a ministra pede às famílias para fazerem a sua parte, considerando que o seu “papel é insubstituível” e defende o desenvolvimento sustentável do país assente na valorização do capital humano e das famílias. “Há de facto muitos outros planos que podemos fazer de forma individual ou colectiva, mas acreditamos que se acções como aquelas que narrámos acima fizerem parte dos nossos planos, julgo que teremos feito um pacto colectivo, para sustentar os nossos projectos e ambições no plano material para 2016”, afirma a ministra na mensagem, para lembrar que 2015 foi um ano marcado por acontecimentos no plano social e comportamental preocupantes e que entristeceram muitas famílias.

“Assistimos a um aumento de casos de violações sexuais de menores, a fuga à paternidade continuou a posicionar-se no pico dos casos de violência doméstica, os acidentes rodoviários continuam a enlutar as famílias e a incapacitar jovens em idade activa e muitas das causas têm a ver com o consumo excessivo e irresponsável de bebidas alcoólicas. Assistimos também a uma negligência por parte de alguns pais e mães na educação e orientação correcta dos seus filhos”, lê-se na mensagem. (Jornal de Angola)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA