Suíça bloqueia US$ 80 milhões supostamente relacionados a corrupção na Fifa

Sede da FIFA na Suiça. (Foto: D.R.)

Ministério da Justiça divulgou que montante estava depositado em 13 contas bancárias que foram bloqueadas pelo governo.

A Suíça bloqueou US$ 80 milhões (R$ 312,3 milhões) relacionados à investigação feita a partir dos Estados Unidos sobre o esquema de corrupção na Fifa, conforme divulgou nesta quarta-feira o Ministério da Justiça do país europeu.

O montante está depositado em um total de 13 contas bancárias, que ficarão impedidas de qualquer movimentação até que os trabalhos dos investigadores estejam encerrados.

Caso, ao término do processo, a Justiça dos EUA tomar decisão pelo confisco definitivo dos valores, será necessários fazer a solicitação da transferência junto ao governo suíço, diz o comunicado.

A Suíça já enviou para os Estados Unidos as primeiras evidências, que possibilitaram a sequência na acusação a dirigentes. Entre os documentos, estão dados das contas bancárias que teriam sido utilizadas para movimentar propinas recebidas, em troca das comercialização de direitos de transmissão e marketing de campeonatos realizados nas Américas do Sul, Central e do Norte.

De acordo com a Procuradoria Geral dos Estados Unidos, os valores chegariam a centenas de milhões de dólares.

A Justiça americana já solicitou que a Suíça envie o processo referente a uma antiga investigação contra dirigentes da Fifa, encerrada em 2010, por considerar que as informações reunidas naquela época podem ser úteis hoje.

Nove dirigentes foram presos entre 27 de maio e 3 de dezembro, em Zurique, na Suíça, sendo que quatro, entre eles José Maria Marin, foram extraditados para os EUA. Um, o ex-presidente da Conmebol, Eugenio Figueredo, foi enviado para o Uruguai.

RAFA BENITEZ : “Há uma campanha contra Florentino, contra mim e contra a equipe”

Rafa Benitez e o presidente do Real Madrid, Fiorentino Perez. (Foto: D.R.)
Rafa Benitez e o presidente do Real Madrid, Fiorentino Perez.
(Foto: D.R.)

Rafa Benítez, técnico do Real Madrid, disse que sofre com uma campanha contra ele mesmo, contra o presidente Florentino Pérez e contra o elenco. Além disso, defendeu sua trajetória perante as críticas, nesta terça-feira, em entrevista coletiva.

“Está claro que há uma campanha contra Florentino, contra mim e contra a equipe. Tudo o que pode ser criticável é criticado, manipulado ou inventado”, garantiu o treinador em entrevista coletiva.

O técnico, criticado por boa parte de seus torcedores no Santiago Bernabéu, pediu apoio à equipe aos que irão ao estádio para presenciar o encontro perante a Real Sociedad, em encontro válido pelo Campeonato Espanhol.

“O que temos que fazer é motivar os torcedores com um bom jogo, uma boa atitude e com entrega, que é o que querem os amantes do Real Madrid. Temos que jogar bem, trabalhar muito, ganhar partidas e o público tem que nos ajudar e vai ajudar”, disse.

Nos dias de recesso natalino, o treinador madrilenho optou por retornar para sua casa na Inglaterra, onde assegura que há maior respeito com sua pessoa. “Estive com minha família, felizmente na imprensa inglesa não há o exagero com tudo o que acontece a cada dia. Aqui em Madri cada decisão técnica parece pessoal”, comentou.

Benítez reconheceu que esteve “tranquilo” com sua família e pensando também em futebol, convencido de que a sua etapa no banco madrilenho ainda se estenderá. “Fiquei pensando no que fazer para ganhar da Real Sociedad e para conseguir títulos neste ano e em todos os que vamos estar aqui”, disse.

Benítez defendeu sua longa carreira nos bancos como melhor fórmula para acertar o rumo do Real Madrid. “São muitos anos e tenho experiência, sei que é o que é preciso fazer, se distrair o menos possível. Me centro no esportivo e não perco energia com o que dizem”, garantiu.

“Eu tomo uma decisão técnica em um elenco como o do Real Madrid que tem 24 jogadores e 13 ficam fora a cada semana. Deixar alguém fora parece decisão pessoal, há especulações, há manipulação da informação com uma campanha permanente. Minha responsabilidade é tomar as decisões que tenho que tomar para que a equipe ganhe jogando bem, não há outro caminho”, disse.

Por fim, o treinador também esclareceu que sua relação com os jogadores é boa. “Garanto que a relação com o elenco é infinitamente melhor do que se lê nos meios de comunicação. São 24 e haverá alguns contentes e outros menos”, acrescentou. (otvfoco)

Criticado, Benítez tem melhor média da carreira; Números se aproximam de Mourinho

O crédito de Rafa Benítez parece ter terminado no Real Madrid após apenas 16 rodadas do Campeonato Espanhol e já há quem diga que os merengues buscam um novo treinador em caso de mais um tropeço do espanhol. Três empates e três derrotas, sendo uma delas por 4 a 0 para o Barcelona, parecem ter sido a gota d’água para torcida e direção do clube. Mesmo assim, Benítez pode encerrar sua passagem pelo Real Madrid com a melhor média de pontos da carreira: 2,26.

Se Benítez abandonar mesmo o Real Madrid, o faria com números parecidos com o de José Mourinho nos merengues. O português, especulado para assumir a equipe da capital, em três temporadas com os blancos, conseguiu uma média de 2,30 pontos por jogo, contra 2,26 do espanhol.

Outro possível substituto de Benítez poderia ser Zinedine Zidane. Sua curta trajetória em Castilla, categoria de base do Real, não registra uma média de pontos alta como Mourinho ou Benítez: Em 41 jogos, desde a metade de 2014, o Zizou tem uma média de 1,59 pontos.

Confira a média de pontos e um resumo da carreira de Rafa Benítez até chegar ao Real Madrid

Nas 23 partidas disputadas até aqui, os blancos conquistaram uma média de 2,26 pontos por confronto. Registro muito superior, por exemplo, ao registrado pelo treinador na temporada 95/96, quando foi rebaixado com o Valladolid após apenas dois triunfos e sete empates em 23 partidas – média 0,20 pontos por jogo.

Benítez voltou à Elite de La Liga em 98/99, mas só começou a melhorar seus números nos anos 2000 quando, após um bom trabalho no Tenerife, conseguiu seu primeiro grande clube na carreira, o Valencia. Seu período no Mestalla se encerrou com dois Campeonato Espanhóis, uma Liga Europa e uma média de 1,89 pontos nas 155 partidas disputadas.

Em seguida, Benítez igualou a marca no Liverpool, onde ficou por seis temporadas. Na Terra dos Beatles, conquistou uma Copa da Liga Inglesa, uma Copa da Inglaterra, uma Supercopa da Europa e uma Liga dos Campeões, em decisão histórica, nos pênaltis, contra o Milan.

Em 2010, se arriscou na complicada tarefa de fazer a torcida da Internazionale esquecer José Mourinho, que havia ganho o Triplete (Italiano, Liga dos Campeões e Copa da Itália) um ano antes. Em Milão, durou apenas 25 jogos, com média de 1,68 por partida e tendo levado a Supercopa da Itália e o Mundial de Clubes.

Benítez abandou os bancos por três anos até retornar ao Chelsea, onde conseguiu seus melhores resultados até a chegada à Madrid. Em 48 jogos, uma média de 1,96 pontos lhe renderam uma Liga Europa. Já em 2013, retornou a Itália para assumir o Nápoli, onde conseguiu a boa média de 1,87 pontos em 122 confrontos. (footstats)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA