Senegalês resgatado no mar vence lotaria de Natal espanhola

Ngame junto a uma mulher que segura uma cópia da sua cautela vencedora AFP

Dos 2,2 mil milhões de euros distribuídos pelo El Gordo, 140 milhões foram parar a Roquetas do Mar, cidade agrícola com 30% de desemprego.

Noelia Lazaro encontrou Ngame com o bilhete vencedor na mão. “Nem consigo acreditar, posso dizer-lhe que na maior parte dos dias nem cinco euros tenho no bolso”, contou à jornalista do diário La Voz de Almeria. Há oito anos, o senegalês Ngame saiu de Marrocos num barco de madeira. Foi resgatado pela guarda costeira espanhola. Agora, foi um dos habitantes de Roquetas de Mar a ganhar 400 mil euros da lotaria de Natal que mais dinheiro distribuiu no mundo.

“Estava na loja da lotaria, com a sua mulher, e tinha o bilhete vencedor na mão”, disse Noelia Lazaro à AFP. Ngame (quer ser conhecido só pelo primeiro nome), de 35 anos, segurava a cautela número 79.140, o número correspondente ao El Gordo, e cujas 160 séries foram todas vendidas em Roquetas do Mar.

“Erámos 65 pessoas a bordo e graças aos espanhóis estamos aqui, eles salvaram-nos quando já estávamos na água”, depois de o barco ter naufragado”, recordou Ngame, citado pela jornalista.

A seguir a serem resgatados, Ngame e a mulher foram levados para Tenerife, uma das ilhas Canárias. Desde então, a família tem sobrevivido com trabalho temporário em quintas ou na apanha de vegetais nas estufas que se estendem por quilómetros em Almeria, a província do Sul espanhol que faz parte da comunidade da Andaluzia. Entretanto, ambos ficaram sem trabalho.

Roquetas de Mar, cidade de 92 mil habitantes, tem turismo e pesca mas a grande actividade são as estufas. A cidade faz parte da área conhecida como “mar de plástico” por causa da paisagem marcada por estufas a perder de vista.

As 160 séries vencedoras vendidas em Roquetas de Mar correspondem a 140 milhões de euros dos 2,2 mil milhões distribuídos este ano. A lotaria, disse à TVE o vice-presidente da câmara, José Juan Rodriguez, é “uma verdadeira bênção” para a cidade, “onde a taxa de desemprego aumentou nos últimos anos, com a crise, e está agora nos 30%”, acima da média nacional de 22%.

“Roquetas é conhecida, como todo El Ejido, como a dispensa da Europa, é daqui que saem a maioria dos legumes consumidos pelos europeus”, descreveu Rodriguez à televisão pública espanhola.

Os imigrantes, como Ngame, constituem uma parte considerável da mão-de-obra intensiva contratada pelos proprietários destas explorações. Dispostos a aceitar menos pagamento, muitos estrangeiros em situação irregular também aqui trabalham.

A lotaria que vai começar a mudar a vida de Ngame tornou-se numa tradição natalícia em Espanha, onde amigos e colegas se juntam para comprar bilhetes. Empresas, clubes e associações e bares também encomendam as suas próprias séries para os funcionários, dividindo os custos e tentando aumentar as possibilidades de um prémio maior.

Este ano, um bilhete de 20 euros correspondia a um prémio de 400 mil. Gonzalo Lovera, a viver em Madrid, ganhou 900 mil euros. “A primeira coisa que vou fazer é visitar a minha família no Paraguai. Não os vejo há anos”, contou à TVE.

Uma tradição com mais de 200 anos

Com a crise, as vendas tinham diminuído nos últimos anos; este Natal, subiram pela primeira vez desde 2008.

Milhares de jogadores habituais fazem filas de horas para comprarem as cautelas nos vendedores conhecidos por serem “sortudos”, onde já saíram prémios. Depois, é esperar pela habitual cerimónia onde crianças de uma escola de Madrid retiram de umas bolas douradas gigantes as pequenas bolas com os números e os cantam num directo que todas as rádios e televisões transmitem. Para muitos espanhóis, é neste momento que começa o Natal.

Entre os vencedores de 2015 estiveram os trabalhadores do Museu de Cera de Madrid e de um restaurante próximo, mas houve sortudos espalhados um pouco por todo o país. Essa é, aliás, a grande diferença entre esta e outras lotarias: o El Gordo oferece prémios individuais mais pequenos que outras lotarias, mas há milhares de vencedores. O bolo total é o maior de todos os concursos deste tipo.

O El Gordo é distribuído sem interrupções desde 1812 e nem a guerra civil espanhola fez parar o sorteio. Entre 1936 e 1939, os nacionalistas de Franco e os republicanos que os combatiam organizaram cada um a sua própria lotaria. (Público)

por Sofia Lorena

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA