Segunda força política da oposição prevê maiores dificuldades em 2016

(Lusa)

A segunda maior força política da oposição de Angola perspectiva para 2016 um ano de maiores dificuldades para os angolanos, com o “agravamento dos níveis da pobreza e falência embrionária da classe média”.

O prognóstico consta da mensagem do Conselho Presidencial da Convergência Ampla de Salvação de Angola – Coligação Eleitoral (CASA-CE), por ocasião da quadra festiva, lida hoje pelo vice-presidente da força política, Lindo Bernardo Tito.

A CASA-CE lamenta que o Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, tenha conduzido os angolanos à atual situação “tão dramática, sem soluções num horizonte temporal imediato”.

“O quadro económico e financeiro caótico que viveremos no próximo ano só será invertido com criatividade, abnegação, boa gestão financeira, transparência e, sobretudo, sentimento de angolanidade”, disse Lindo Bernardo Tito.

O político exortou aos angolanos a não perderem a esperança “quanto à viabilidade de Angola”.

“A CASA-CE apela a todos os angolanos a renovarem a fé de que Angola terá de ser o espaço territorial, cultural e humano, onde os angolanos deverão, por direito próprio, ver os seus sonhos fruir e realizar as suas ambições”, referiu.

Ainda na mesma mensagem, a CASA-CE vaticina a revisão do Orçamento Geral do Estado para 2016, fixado no valor de 45 dólares o preço do barril de petróleo, face a acentuada queda da cotação do Brent no mercado internacional.

Para aquela formação política, “a queda substantiva do preço do Brent no mercado internacional e num quadro em que não existem outras fontes de financiamento das despesas públicas aprofundará o colapso das finanças públicas angolanas”. (Noticiasaominuto)

por Lusa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA